Buscando Franquias? Encontre aqui sua franquia «
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Qual o melhor momento de vida para investir em uma franquia?

19/03/2021

melhor momento da vida para investir

Há momentos na vida que nos fazem refletir sobre o que fazer.

Pode ser por fatores externos, como uma demissão motivada por uma crise no mercado de trabalho, por exemplo, ou internos, como o desejo de dar uma guinada, mudar de vida, ter uma nova experiência profissional, se tornar empreendedor e ter o próprio negócio.

Mas, afinal, qual o melhor momento de vida para investir em uma franquia?

Observando o passar do tempo, para Andres Santaella, consultor de Expansão da Focus Franquias, “o melhor momento para se investir em uma franquia é entre 30 a 40 anos. Quando, normalmente, já se consegue ter uma estabilidade financeira”.

Ainda de acordo com o especialista, esse é o momento de vida em que o empreendedor “ainda é jovem para ter energia para lidar com imprevistos, com aprendizados de um novo negócio, de acompanhar os resultados e indicadores da unidade”.

Para Deborah Machado, diretora de Operações da Goakira, “o melhor momento da vida para se investir em um negócio é quando o interessado possui o capital necessário ou como obtê-lo e já passou por experiências onde teve que atuar com pessoas, clientes, pares e superiores, pois certamente já terá passado por diversas situações que vão qualificá-lo a fazer uma gestão eficiente”.

A especialista acrescenta, ainda, algo mais que é preciso que a pessoa interessada em investir numa franquia tenha nesse momento de vida.

Na visão da executiva, “é necessário que no momento da escolha o interessado possua real foco no negócio, pois mesmo que seja um investidor, um negócio em início precisa de acompanhamento, supervisão e cuidado para que chegue em maturidade operacional e consequentemente financeira”.

O Portal do Franchising traz algumas histórias inspiradoras de empreendedores que identificaram o melhor momento de sua vida para investir em uma franquia. Confira:

 

Paulo Camargo, 46 anos, franqueado Pinta Mundi Tintas – Vila Mascote, zona Sul de São Paulo

“O momento em que decidi investir em uma franquia foi quando percebi que precisava de mais qualidade de vida, sem perder a vontade de trabalhar. Durante 15 anos, atuei como executivo financeiro de um frigorífico localizado em Itupeva (SP). Morando em São Paulo e tendo que viajar diariamente, eu me sentia cansado.

Essa viagem diária já era suficientemente estressante. Eu saía de casa às 5h30 e voltava depois das 20h. Não tinha tempo para nada. Cansado também do mercado corporativo,  pedi demissão e resolvi investir em uma franquia.

Fiquei curioso ao conhecer a PINTA MUNDI TINTAS e, depois de estudar bem o negócio, percebi que era muito fácil de operá-lo. Investi e estou bem satisfeito. Hoje, fecho a loja às 18h e, em dez minutos, estou em casa.

Consigo viajar aos finais de semana e tenho tempo para conviver com minhas filhas, de 10 e 14 anos, acompanhando de perto a educação das meninas.

Como franqueado da PINTA MUNDI TINTAS, não é apenas nos finais de semana que tenho mais tempo. Depois da loja fechada, não tenho a preocupação de fazer compras, receber pedidos, nada que outra operação demande. É, realmente, um investimento que permite ter boa qualidade de vida”.

Para saber mais sobre a franquia Pinta Mundi Tintas, clique aqui.

 

Thales Meira, 26 anos, franqueado Dr. Shape – Poços de Caldas (MG)

 “Eu decidi investir em uma franquia no momento em que percebi que ser feliz profissionalmente valia mais do que um cargo conquistado por meio de um concurso público. Ainda cursando a faculdade de Direito, prestei concurso para o Tribunal de Justiça de minha cidade, Poços de Caldas (MG) e fui aprovado.

Mas, a paixão pelo Fisiculturismo, esporte que pratico há cerca de dez anos e me leva a atualmente competir, inclusive, me fez conhecer muito sobre suplementos alimentares.

Eu já tinha uma carreira traçada, porque ser funcionário público me traria estabilidade pelo resto da vida. Mas, a vontade de trabalhar no segmento de suplementos me fez mudar tudo. Encontrei a franquia e decidi mudar de vida. Meu pai, Márcio Meira, ficou apreensivo, mas me apoiou.

Ele é funcionário público, mas entrou comigo na sociedade. Eu recebi uma herança de minha mãe, que infelizmente faleceu há quatro anos, e investi na franquia, em 2018. Exonerei-me do cargo público e me tornei franqueado.

Aos 26 anos de idade, sinto-me motivado a ter mais lojas, assim que situação permitir, e levar meu sonho adiante.”

Para saber mais sobre a franquia Dr. Shape, clique aqui.

 

Rejane Bezerra, franqueada YES! – Asa Norte, Brasília (DF)

“O melhor momento para investir em uma franquia é aquele em que você se sente lúcido e ciente do seu potencial como empreendedor. Investi na YES!, mesmo com uma carreira já consolidada como advogada.

Percebi que eu poderia exercer meu potencial trabalhando em um negócio que me proporcionasse lucratividade, novas oportunidades e também qualidade de vida. As franquias ajudam nesse processo porque são estruturadas e prontas para o investidor começar a trabalhar.

E foi exatamente isso que aconteceu. Me encontrei diante de um grande desafio que é ser empresária, em uma fase nova da minha vida. Estava cheia de energia e ideias, começando um novo ciclo e pensei: por quê não usar das minhas experiências para alavancar um negócio?

Percebi que o meu propósito de vida estava alinhado com o propósito da franquia que escolhi e não tive dúvidas de que estava fazendo uma boa escolha. Mudei o curso da minha vida aos 40 anos de idade e hoje, seis anos depois, vejo que em pouco tempo melhorei não só a minha vida, mas de muitas outras pessoas”.

Para saber mais sobre a franquia Yes!, clique aqui.

 

Dennis Amarante, franqueado Megamatte

“Optar por investir em uma franquia sempre esteve nos meus planos, porém enquanto ainda estava na faculdade fui convidado por um amigo para abrir um restaurante de marca própria. Pouco tempo depois me aproximei da Megamatte, primeiramente como cliente, logo depois como fã da marca, e em seguida como franqueado.

Gostamos tanto do negócio que em pouco tempo abrimos mais uma unidade. Hoje mesmo nesta crise, onde muitos dizem não ser um bom momento, investimos em mais duas lojas, que já vêm nos trazendo bons resultados”.

Para saber mais sobre a franquia Megamatte, clique aqui.

 

Roberta Monteiro, franqueada Kumon desde fevereiro/2011

“O melhor momento é quando você decide fazer algo por você e pelas pessoas que ama, algo que se identifique com o que você acredita, confia e quer deixar de legado. No meu caso foi após a maternidade e tinha que ser sobre educação”.

Para saber mais sobre a franquia Kumon, clique aqui.

 

Jackson Neves, franqueado do Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos)

“Durante 8 anos trabalhei em várias escolas de cursos profissionalizante, como instrutor, vendedor e coordenador, em 2008 logo após a crise veio a oportunidade de concretizar um planejamento e investir em uma unidade CEBRAC, no momento muitas pessoas me chamaram de louco pelo fato de estarmos passado por uma grande crise porém observei a necessidade que o mercado teria de obter mão de obra mais qualificada e a grande falta deste profissional me fez investir em uma escola de cursos e como fui funcionário durante 2 anos de uma unidade CEBRAC optei pela abertura da mesma.

O melhor momento para investir em uma franquia são em contextos desafiadores como crises econômicas ou epidêmicas como a que estamos vivendo”.

Para saber mais sobre a franquia Cebrac, clique aqui.

 

Casal Sérgio Costa e Arlene Costa, franqueado da Home Angels

O momento de vida que eles decidiram investir, foi depois da esposa ter ficado anos fora do mercado de trabalho para cuidar dos filhos e na hora de voltar optaram por empreender juntos.

Sérgio Costa trabalhou nos últimos 21 anos em uma montadora de automóveis e construiu uma carreira de sucesso, indo de estagiário a gerente.

Conheceu a esposa quando os dois eram estagiários, ela seguiu carreira em um dos maiores bancos do país e há 6 anos, quando nasceu o primeiro filho do casal, ela decidiu dar uma pausa no trabalho para cuidar do bebê.

O plano inicial era que esse tempo fosse de uns dois anos, mas quando chegou esse momento ela engravidou novamente, postergando a retomada.

Quando o filho mais novo completou dois anos e o mais velho quatro começaram a planejar o retorno dela ao mercado de trabalho e aí surgiu uma dúvida, que deve acometer muitas pessoas, voltar a trabalhar em uma grande empresa como funcionária ou empreender?

Diante dessa questão, desde 2018 estão analisando opções de franquias, e a Home Angels sempre foi uma das primeiras alternativas, pois todos os finais de semana  vão para o litoral e passam na frente do outdoor da  marca na Imigrantes e pensavam que não poderia ser um simples acaso.

Em 2020, Sérgio entrou em contato com a rede para entender melhor como era o negócio, a princípio  tinha algumas premissas, a principal era a de uma opção de franquia com baixo custo fixo inicial (aluguel, estoque etc) depois de muitas conversas, explicações, materiais de apoio, foram cada vez mais atraídos pela Home Angels. A  esposa de Sérgio teve uma vivência familiar com o avô que ficou acamado por 10 anos, utilizando nesse período o serviço de cuidadores, e o que era uma alternativa, passou a  parecer o caminho que  faria a família feliz, profissional e pessoalmente.

Em outubro de 2020 ele se desliga do emprego e o que era apenas uma opção para a esposa passou a ser uma alternativa também para ele.

Segundo o empreendedor, a franquia é uma excelente alternativa para quem tem oportunidade de investir na abertura de sua própria empresa, com a garantia de suporte de know how, de ferramentas de gestão e principalmente, de atalhos que aceleram a obtenção dos resultados financeiros esperados.

“Nesse cenário a Home Angels é uma excelente opção, pois oferece a oportunidade de home office no primeiro ano, com baixos custos fixos e a um preço acessível. Estamos muito felizes por nos encontrarmos em uma fase da vida, onde temos a segurança financeira e a experiência pessoal necessária para iniciar uma empresa, cientes de que trabalharemos muito, mas com a confiança do respaldo que a franqueadora nos dá”, explica.

Para mais informações da franquia Home Angels, clique aqui.

 

Robson Vieira, franqueado Maria Brasileira – Tatuí (SP)

“O melhor momento é aquele em que você se sente preparado para encarar os desafios de empreender. Tenho 38 anos e trabalhava como gerente há mais de 15 anos numa das mais importantes indústrias de auto peças do país. Apesar da estabilidade profissional, inclusive durante a pandemia, eu não me sentia mais feliz e realizado profissionalmente e resolvi abrir meu próprio negócio, mas não sabia em qual segmento.

Fazendo pesquisas de mercado, vi que o setor de limpeza é muito promissor, o negócio do futuro. A partir daí escolhi a Maria Brasileira por ter uma marca já consolidada no mercado e bem aceita nas cidades em que atua.

Fiz acordo na antiga empresa, em setembro de 2020 adquiri a  Maria Brasileira em Tatuí, interior de São Paulo, e em dezembro inaugurei a unidade. O negócio está indo numa curva de crescimento muito boa, dentro da expectativa para a obtenção de resultados.

Com certeza, minha maturidade em reconhecer os riscos de deixar o certo para se arriscar no novo, saber que existe um tempo de retorno, e nesse meio controlar a ansiedade, me dão o suporte, principalmente emocional, para seguir em frente”.

Para mais informações sobre a franquia Maria Brasileira, clique aqui.

 

Marcelo Domingues Costa, 44 anos, franqueado Pormade Portas desde 2019 – Brasília – DF

Antes de ser franqueado, eu trabalhava como gerente nacional de vendas no segmento de construção civil e esquadrias. A minha transição de carreira foi impactante em vários aspectos.

O primeiro deles foi a questão motivacional. Penso que uma coisa é você acordar todos os dias para trabalhar em uma companhia e outra é lutar pelo seu negócio.

O dia ganha outra dimensão, a energia motivacional é toda canalizada para o seu próprio crescimento. O segundo aspecto foi o financeiro. Com o meu próprio negócio, o ritmo do crescimento financeiro é de minha total responsabilidade.

Por fim, o terceiro aspecto é o de liberdade. Mas, não confundo liberdade de tempo com falta de trabalho. O volume de trabalho quando se tem seu negócio é bem maior do que quando se é empregado.

Não existe a lenda de que vou trabalhar quando eu quiser. A realidade é ‘vou trabalhar quando e como o meu compromisso com o negócio me direcionar’. Então, penso que minha principal motivação para mudar de carreira e empreender foi o desafio de fazer dar certo com o meu próprio negócio.

Hoje em dia, os executivos de empresas têm um comprometimento enorme dentro de suas corporações, mas, acredito que não exista nada que fortaleça mais o seu compromisso de trabalho do que trabalhar para si mesmo, de acordo com seus ideais e seus planos.

É gratificante ver seu trabalho ser a mola impulsionadora da realização dos seus sonhos e de tantas outras pessoas a sua volta”.

Para mais informações sobre a franquia Pormade, clique aqui.

 

José Augusto Campos, franqueado Fini no Shopping Grande Rio – Rio de Janeiro (RJ)

“Acredito que sempre é hora de realizar um sonho. Não há uma receita perfeita nem uma data exata, o momento dessa escolha é muito pessoal e relativo.

O importante de tudo é você ter a ambição de cuidar do seu próprio negócio, dedicação, disposição e um capital para investir nesse sonho.

É desafiador, sim, e muito. Ter a própria franquia exige proximidade no negócio, mas acompanhar o crescimento e a performance, é gratificante.

Ser empreendedor é ir além do cenário atual. É olhar a economia e as suas oportunidades. É ver a instabilidade, reagir, projetar e, quando tudo voltar a engrenar, você está à frente do mercado.

E foi assim com a gente. Em meio à pandemia, investimos e adquirimos uma franquia da Fini. A economia é cíclica, e quando o mercado reaquecer, já teremos superado a curva de aprendizado do negócio. É estar à frente, mais uma vez.

Por isso, quem faz o momento perfeito para investir em uma franquia somos nós e a maneira como enxergamos as oportunidades”.

Para mais informações sobre a franquia Fini, clique aqui.

 

Bruno Soares, 34 anos, sócio-proprietário da Oakberry Braz Leme – São Paulo (SP)

“Por ser um modelo testado e já em operação, optar por uma franquia me deu mais segurança para empreender e investir.

Atuei por mais de dez anos no setor de Aviação e construí minha carreira corporativa em Comunicação e Marketing em uma grande Cia Aérea Americana com base em Atlanta/US, onde residi até 2020.

O impacto do COVID-19 foi devastador para a Aviação, derrubou ações, gerou endividamento e custou muitos empregos.

Foi neste momento que optei mudar. Além dos benefícios oferecidos no programa de demissão voluntária, ganhar qualidade de vida e poder fazer a gestão do meu tempo estavam se tornando inegociáveis. Não acredito que empreender seja trabalhar menos e/ou ganhar mais, mas acredito que quando se tem clareza sobre a maneira que queremos trabalhar e buscamos parceiros que já testaram seus negócios e eles são compatíveis a você, o trabalho se torna mais prazeroso e muito provavelmente, lucrativo”.

Para mais informações sobre a franquia OakBerry, clique aqui.

 

 

Fernando Felizardo, 36 anos, franqueado MicroPro Desenvolvimento Profissional e Comportamental – Limeira (SP)

“O momento em que decidi investir em uma franquia foi quando quis deixar de ser funcionário. Eu estava preparado para ser franqueada porque eu realmente conhecia muito do negócio, já trabalhava na MicroPro havia alguns anos e trilhei uma bela carreira dentro da rede, alcançando um cargo de diretoria.

Como tenho muita aptidão comercial, sabia que poderia dar a uma unidade franqueada um faturamento expressivo. Conversei com o Fábio Affonso, franqueador, e ele me ofereceu sociedade justamente na escola em que eu já era diretor. Então, preparei-me para um grande desafio: o de ampliar o número de alunos da escola da qual eu seria sócio.

E assim aconteceu. Hoje, a MicroPro Limeira tem 600 alunos e 16 colaboradores, crescendo dia a dia. A escola de Limeira coleciona mais de 30 prêmios e tem um ótimo relacionamento com a cidade, popularidade que chegou à Câmara Municipal da localidade: recebi uma Moção de Aplausos na casa do legislativo.

O reconhecimento se deveu ao trabalho de cunho social desenvolvido dentro da escola de Limeira. É um feito para uma escola da rede. Acho que, no ramo de escolas profissionalizantes, é a primeira vez que alguém conquista uma Moção de Aplausos. Distribuímos bolsas de estudos para pessoas em situação de vulnerabilidade, em cursos como os de Inglês, Informática da Melhor Idade, Informática Kids e Gestor Administrativo.

Alguns chegam a estudar gratuitamente em cursos que duram dois anos. Ser franqueado, para mim, é justamente saber que tenho um papel importante na sociedade em que atuo”.

Para mais informações sobre a franquia MicroPro, clique aqui.

 

Rosana Vasco Tomé de Sousa, 55 anos, franqueada da rede Chocolateria Brasileira –  Moema – São Paulo/SP

“Acredito que a melhor fase é quando você já possui uma certa experiência e maturidade no mercado de trabalho. Porque, apesar da franquia te auxiliar muito no modelo de negócio, mesmo não tendo experiência na área escolhida, o seu conhecimento de mercado, formação e experiência de vida serão um grande diferencial nessa nova fase.

No meu caso, eu passei boa parte da minha vida profissional no mercado financeiro, mas em 2006 decidi ter meu próprio negócio e optei pelo franchising.

A maturidade também me ajudou a entender que nesse modelo de negócio, no caso das franquias, você precisa estar em sintonia com o que a marca ou produto escolhido irá exigir de você”.

Para mais informações sobre a franquia Chocolateria Brasileira, clique aqui.

 

Nathan Souza, franqueado da Minds Idiomas

“Não acredito que há apenas um melhor momento na vida para se investir em um novo negócio. A vida é repleta de bons momentos para nos reinventarmos e potencializarmos nosso trabalho com a ajuda de uma excelente parceira, a franqueadora.

É claro que é necessário pesquisar as franquias, saber quanto investir, além de analisar se o negócio é rentável e em quanto tempo você terá o retorno do que aplicou.

Encontrei o que eu almejava na Minds, conhecendo uma proposta de ensino de língua inglesa inovadora com absolutamente nada parecido no mercado! Logo, com apenas 24 anos me tornei um jovem empreendedor pois acredito no potencial da Minds e dos benefícios que minha escola traz à sociedade.

Aos 27, já tenho uma segunda unidade e pretendo ir mais longe, pois, como disse, a vida é repleto de bons momentos. Cabe a nós aproveitá-los!”

Para mais informações sobre a franquia Minds English School, clique aqui.

 

João Marcelo Spatara, 45 anos, franqueado da Hostnet – Unidade Buritis – Belo Horizonte – MG

“Investi na franquia da Hostnet. O melhor momento para mim veio com o agravamento da crise do varejo nacional, em 2019. Sempre trabalhei com infraestrutura de T.I. para o varejo e a crise escancarou a necessidade de mudança de rumo no trabalho.

Foi então que resolvi investir em um negócio relacionado com o futuro do comércio; tanto na Internet quanto em lojas físicas – comércio eletrônico, marketing digital, geração de tráfego e afins, na minha percepção, são o caminho!”

Para mais informações sobre a franquia HostNet, clique aqui.

 

Tauan e Bárbara Schneider, franqueados Café Cultura – Curitiba (PR)

Tauan e Bárbara Schneider, de 32 e 28 anos, eram há seis anos o típico jovem casal bem-sucedido. Ambos tinham bons cargos em grandes multinacionais (nas áreas de linha branca e alimentação) e haviam conquistado um bom padrão de vida. Mas faltava alguma coisa: trabalhar com algo que tivesse mais a ver com a essência do casal.

“O mundo corporativo é muito disputado, a concorrência é feroz. “A nossa rotina era só fazer negócios, resolver problemas, havia poucos momentos de satisfação e felicidade para nós e também para os nossos clientes. Tornou-se algo mecânico, que não trazia mais realização”, conta Tauan.

Decidiram, então, largar a vida estável e o emprego de sucesso para buscar algo que fizesse mais sentido para a vida deles “A gente olhava para o futuro e não nos imaginávamos fazendo o mesmo. Queríamos algo que tivesse mais a ver conosco”, lembra Tauan. Com uma boa reserva financeira acumulada ao longo dos anos, decidiram então abrir o próprio negócio. A escolha do ramo aconteceu meio que por acaso. O casal tinha a gastronomia como um hobby e chegou a ter um blog da área.

Tauan e Bárbara então deixaram os empregos em Curitiba e foram morar em Campo Grande por dois anos, para aprender mais sobre franquias, já que a família dele era franqueada de quatro marcas. “Decidimos apostar neste segmento porque não tínhamos conhecimentos nem experiência com gestão de negócios e pessoas. Foi a melhor decisão. A franquia é o modelo ideal para pessoas na mesma situação que a nossa”, explica o empresário.

A área já estava escolhida: gastronomia. Faltava eleger a marca. Foram meses de muita pesquisa, até que um dia, na internet, Bárbara chegou até o Café Cultura, rede de cafeterias de Florianópolis, hoje com 18 lojas na região sul (SC, PR e RS) e que está ingressando no Rio de Janeiro e em breve em Minas Gerais.

“Telefonamos para um casal de amigos de Florianópolis para ver se eles conheciam o Café Cultura e fomos surpreendidos. Elas não só conheciam, como eram clientes fiéis e disseram que a cafeteria era incrível, ponto de encontro da cidade e fazia muito sucesso. Sem querer, nos venderam o negócio”, brinca.

Tauan conta que já na primeira reunião com a franquia sentiram que estavam no local certo. “Eles falaram uma frase que resumia tudo o que a gente estava procurando. Disseram: não vendemos café, vendemos sorrisos. Isto falou muito alto para nós”, lembra.

Como a meta agora era a qualidade de vida e a felicidade do casal, retornaram para a cidade onde queriam voltar a viver (Curitiba). A primeira loja do Café Cultura em Curitiba foi aberta em novembro de 2020 (com seis meses de atraso devido à pandemia).

“Hoje conseguimos realizar o nosso sonho. É claro que é muito trabalho, mas quando olhamos para o salão e vemos as pessoas consumindo nossos produtos, felizes, é incrível. Não estamos ali só vendendo. Hoje o nosso trabalho traz satisfação para as pessoas. Esta energia é tudo. É um trabalho muito gratificante poder fazer o bem para as pessoas”.

Para mais informações sobre a franquia Café Cultura, clique aqui.

 

Erenildo Jair de Oliveira, franqueado Consulting Now – Natal (RN)

“Após os 50 anos de idade e 32 anos de carreira bancária, no Banco do Nordeste do Brasil, se encontrou na Consultoria Empresarial. Utilizando seu conhecimento, em 2018 adquiriu uma franquia da Consulting Now.

Seu planejamento, ao sair do banco, era se encontrar em uma segunda carreira que ele gostasse e tivesse conexão com sua formação e experiência profissional. Ele, que é psicólogo clínico de formação, também é administrador e tem expertise no departamento contábil”.

Para mais informações sobre a franquia Consulting Now, clique aqui.

 


Conseguiu definir quando é o melhor momento para começar a investir?  Confira também estes artigos: