Casa do Construtor acelera expansão para cidades
Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

«
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Após crescimento recorde, Casa do Construtor acelera expansão para cidades de pequeno e médio porte, com dois modelos

10/06/2022

  • Com 453 unidades e líder na América Latina em locação de equipamentos para construção civil e soluções para o dia a dia, a rede de franquias faturou, apenas em 2021, mais de R$ 500 mi.
  • Com dois modelos de negócio, empresa tem meta de possuir mil lojas até 2025

 

Maior rede franqueadora de locação de equipamentos para construção civil da América Latina, a Casa do Construtor vem acumulando recordes sucessivos de performance, chegando a crescer 54%, apenas em 2021, e fechando o ano com faturamento acima dos R$ 500 milhões. A empresa também já conta com 450 unidades inauguradas no país, além de três no Paraguai. Com base nestes resultados, apostando em movimentos de expansão bem desenhados e, principalmente, na perenidade do setor de Casa e Construção, a empresa busca novos investidores na 29ª edição da ABF Franchising. Para isso, conta com dois modelos de negócios.

“Casa e Construção, como um todo, vem apresentando um excelente desempenho, inclusive na pandemia. Prova é que nunca crescemos tanto quanto nestes tempos em que os lares ganharam um novo status. Neste primeiro trimestre, por exemplo, franquias ligadas a este segmento cresceram 9,3%, mantendo o ritmo positivo dos trimestres anteriores. Estes serão alguns dos argumentos que usaremos para impactar o público que visitará nosso estande”, diz Altino Cristofoletti Junior, CEO e sócio fundador da Casa do Construtor.

Modelos de Negócios

Altino ainda continua com sua linha de raciocínio que explica os planos de expansão da empresa. “O Brasil conta com mais de 5,5 mil municípios e enxergamos este número como um cenário muito favorável para ampliarmos o nosso raio de atuação e traçamos uma meta audaciosa que é possuirmos mil unidades até o ano de 2025”, diz.

Neste contexto, a Casa do Construtor conta com dois modelos de negócios. O primeiro direcionado para cidades acima de grande porte, entre 100 e 200 mil habitantes e investimento a partir de R$ 660 mil.  Já para localidades menores, de até 40 mil habitantes, a ideia é abrir um ponto que tenha um mix um pouco mais enxuto, cujo investimento é da ordem de R$ 430 mil.

“Com estes dois modelos, acreditamos que conseguiremos abranger as necessidades tanto de clientes de grandes centros, quanto daqueles de cidades do interior. A ideia é fazer com que os que necessitam de nossos serviços – e não é pouca gente – estejam sempre próximos ou não muito distantes de uma unidade. Para isso, necessitamos de mais e mais franqueados e é isso que vamos buscar na Feira”, diz o CEO.

Com planos de expansão bem desenhados, a Casa do Construtor pretende abrir mais 100 unidades este ano e fechar 2022 com faturamento de R$ 750 milhões. Para isso, além da participação na 29ª ABF Expo Franchising, a empresa pretende abrir unidades nas cinco regiões, com ênfase nos estados do Pará, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Desde a fundação, a Casa do Construtor registrou, em 2021, o melhor ano de sua história. O faturamento da rede bateu um recorde, superando os R$ 500 milhões, com crescimento de 54% em relação a 2020. Somente em 2021 foram abertas 100 novas operações, totalizando 400 unidades em todo o país, além de três no Paraguai. Esta curva teve início em 2019, quando chegou a 276 unidades e receita de R$ 279 milhões. Já ao fim de 2020, o crescimento foi de 19,1% na receita, chegando a R$ 328 milhões, e abertura de 42 novas unidades, num total de 318 operações, números superiores à média das empresas ligadas ao setor de franquias relacionadas à construção civil e do próprio ramo da construção.

NOTÍCIAS RELACIONADAS