Gerenciamento de equipes aumenta produtividade e faturamento

10/05/2013

Por Ana Vecchi

Como alavancar melhores resultados e se manter atualizado com as expectativas dos clientes?

Pode-se implantar planos de marketing para motivar o cliente a conhecer produtos e serviços. Ou reformular tudo, partir para um novo conceito, seguindo algum modismo, contratar o guru do momento, assistir a seminários, assinar revistas, visitar sites, viajar pelo mundo das informações… mas só se tivermos dinheiro para isso!

Podemos, acima de tudo, implantar ferramentas de gestão sem gastar tanto – ferramentas voltadas para pavimentar um caminho de revitalização da empresa, seus produtos, serviços, clientes e faturamento. Uma ferramenta que pode ser resumida em cinco palavras: gerenciar estratégias através de pessoas.

A maioria das empresas mantém poucas pessoas de extrema confiança. Das demais, cobra eficiência operacional sem oferecer programas de desenvolvimento de habilidades e de comportamento. Na prática, isso significa que as demais pessoas não se integram e não se sentem participativas. Uma ‘guerra surda’ interna, que nada agrega. Só uma estrutura burocratizada e dependente das decisões pessoais isoladas. Uma estrutura que, em conseqüência, não olha para fora, não se abre à satisfação dos clientes e fica perdida em suas regras e controles internos. São empresas que sabem quanto economizam, mas não quanto deixam de ganhar.

Há outras empresas que, para desenvolver pessoas, adotam programas de qualidade. Ou que, para motivar pessoas, adotam programas internos de diálogo, rodas de conversa, incentivo às idéias, caixa de sugestões, entre outros. Mas por que isso às vezes não funciona ou não é suficiente? Por que poucos efetivamente desenvolvem habilidades como liderança, organização, gestão do tempo, criatividade, iniciativa?

Porque, da mesma forma que não se constrói telhado sem paredes, ninguém se desenvolve operacionalmente se não tiver se desenvolvido pessoalmente. Levando isso em consideração, reflita sobre os seguintes pontos:

– Seus colaboradores e parceiros são leais ao seu negócio?

– Demonstram satisfação em trabalhar?

– Qual o tempo médio que os colaboradores trabalham na empresa?

– A empresa cobra respeito a suas regras, somente, ou de alguma forma se preocupa com qualidade de vida?

– A empresa possui um alto volume de litígios trabalhistas?

– Colaboradores são valiosos para sua equipe?

– Sua empresa adora ‘discursos’ ou faz constantes mudanças práticas?

– Os processos foram implantados há mais de dois anos?

– Existe algum programa de incentivo à participação do pessoal nas decisões?

– Treinamento e desenvolvimento são considerados despesa ou investimento?

– Qual a forma de comunicação e com que freqüência se promovem encontros para sugerir melhorias?

As pessoas podem e devem participar mais e melhor das estratégias, melhorias da empresa e resultados. Mas isso depende sempre do comportamento do dono, seja franqueador ou franqueado. Alguém já disse que ‘a sua empresa é do tamanho dos seus sonhos’. Resta trabalhar por eles.

[email protected]

Avaliação