Buscando Franquias? Encontre aqui sua franquia «
Escolha pelo menos um opção para sua busca

19 perguntas indispensáveis para fazer ao franqueador antes de abrir uma franquia

15/12/2018

Comprar uma franquia

Uma das formas mais seguras de se iniciar um negócio próprio é comprar uma franquia.

E sabe por quê?

Antes de atingir o estágio atual de sucesso, ela passou por um longo período experimental onde foram feitos diversos testes operacionais e de processos que, entre outras coisas, ajudaram a dar solidez e rentabilidade ao negócio.

É como se o empreendedor desenvolvesse uma fórmula de sucesso e, depois, decidisse replicar esse modelo em outros lugares e com outras pessoas.

Apesar disso, só o CTRL C e CTRL V dessa receita não farão com que esse “bolo” cresça naturalmente.

Tudo vai depender da forma como o franqueado aplicará esses métodos.

Se você está pensando em comprar uma franquia e está pesquisando como executar os processos da marca da melhor forma possível, algumas dúvidas terão de ser sanadas junto à rede.

Para te ajudar, nós do Portal do Franchising, separamos aquelas que você NÃO deve deixar de fazer à franquia antes de fechar negócio.

Aliás, consultores especialistas em franchising aconselham que antes de abrir sua unidade todo investidor questione o franqueador com o máximo de perguntas possível, a fim de obter clareza e transparência quanto à operação e, principalmente, sobre as necessidades do negócio que dependerão diretamente da gestão do franqueado.

Além disso, eles também recomendam que o investidor trace um perfil próprio para entender se ele está realmente preparado para seguir uma série de regras e pontos que não foram criados por ele, como explica abaixo o sócio-diretor da consultoria especializada em varejo e franquias GoAkira, José Carlos Fugice Jr.

“Primeiro de tudo, ele deve se perguntar: até onde eu, como franqueado, posso desenvolver maneiras próprias de tocar o negócio? A partir daí ele verá se esse tipo de operação se encaixa com o perfil que ele busca como empreendedor. As vezes uma pessoa muito criativa prefere seguir um padrão de processos que ela criou mas, como a gente sabe, as franquias possuem um padrão específico e testado, que deverá ser seguido à risca. Será que ele está alinhado com isso?”.

 

O consultor orienta, ainda, ao possível franqueado que ele venha a sanar todas as dúvidas possíveis em relação à franquia, principalmente as relativas ao apoio e suporte oferecidos pela rede franqueadora.

“Geralmente, tanto o comprador de uma franquia quanto o vendedor acabam generalizando as dúvidas sobre os processos de apoio e suporte, mas no dia a dia isso pode gerar conflitos, pois o entendimento não ficará claro entre as partes. Então, detalhe, minuciosamente, o que o franqueador diz que vai entregar para você. E também é extremamente importante delimitar com clareza quais são os papéis e as responsabilidades de cada um”.

 

Se você já definiu o negócio ou a franquia com a qual quer trabalhar, mas ainda não sabe que questionamentos deve fazer para o entrevistador, separamos uma lista com 19 perguntas indispensáveis para você tirar com o franqueador antes de finalizar o processo de abertura da franquia.

O índice foi elaborado com a ajuda de consultores especializados em franchising, em especial a diretora da área de inteligência de mercado do Grupo Bittencourt, Caroline Bittencourt, e o sócio-diretor da consultoria GoAkira, José Carlos Fugice Jr.

19 perguntas indispensáveis para fazer ao franqueador antes de abrir uma franquia:

  1. Como será a remuneração da franqueadora?
    Quais os percentuais oferecidos e sobre qual índice do franqueado é aplicada a remuneração?
  2. Como será a divisão de território para atuação da franquia?
    Onde o franqueado poderá atuar e onde ele não poderá.
    Isso inclui também os canais como delivery e e-commerce, por exemplo.
  3. Como funcionará o abastecimento da unidade?
    Se o franqueador for também o fornecedor como se dará a realização dos pedidos e do prazo de entrega?
    Se o franqueador não for o principal fornecedor, como é a relação de compras?
    Há uma central de compras ou o franqueado negocia diretamente com o fornecedor?
    Esse ponto é crucial para o franqueado nunca ficar sem produtos em sua unidade e com isso prejudicar o seu resultado.
  4. Há fornecedores homologados ou o franqueado terá que desenvolver sua própria rede de fornecedores?
  5. Quais são as regras de sucessão e repasse de franquias?
  6. O que é esperado do franqueado e o que o franqueador vai oferecer como contrapartida?
    Ter muito claro o papel de cada uma das partes é ponto chave para uma relação madura e transparente.
  7. Quais são os suportes que a franqueadora vai oferecer?
    Treinamentos, manuais, visitas de consultores, enfim, qual a estrutura que a franqueadora tem para atender as demandas da rede?
  8. Qual é o plano de expansão da franqueadora, quanto tempo ela tem de mercado e quanto ela já conquistou de espaço no setor?
    É interessante investir em uma franquia que tenha efetivamente potencial de crescimento.
  9. Como os franqueados atuais estão em relação ao resultado do negócio?
    Eles já tiveram retorno do investimento e em qual prazo isso ocorreu?
    Há franqueados com mais de uma unidade?
  10. Qual é a situação da marca atualmente, está devidamente registrada?
    E como funciona o uso da marca pelo franqueado?
  11. Como será a integração do franqueado na rede?
    Ou seja, quanto tempo de treinamento, se este será presencial ou virtual, se será prático ou apenas teórico, se contempla também a equipe, e os custos envolvidos com esse treino serão de responsabilidade de quem?
  12. A franqueadora tem estabelecido um fundo de propaganda?
    Como tem sido a utilização desse fundo em prol da rede?
    Quais as ações são feitas e se elas tem efetivamente trazido benefícios para a rede?
  13. Quais são as condições do contrato?
    Inclui-se: prazo de contrato, condições de renovação e rescisão, tanto por parte do franqueado quanto franqueador.
  14. Qual o resultado que ele pode esperar do negócio e o quanto ele é factível de acontecer?
    Pedir números de unidades em operação é uma boa referência.
    Analise a lucratividade, rentabilidade e tempo de retorno do investimento.
  15. A rede já teve unidades fechadas ou franqueados desligados da rede? Se sim, por quais motivos?
  16. Quais são os maiores desafios do negócio?
    É comum o franqueador focar no que ele tem de melhor para oferecer, mas é bom saber que não existe negócio perfeito e entender os pontos que o franqueado precisa ficar atento é extremamente importante.
  17. Como está a saúde financeira da franqueadora?
    Ela possui dívidas no mercado?
    E como é a relação entre os sócios da franqueadora (se houver)?
  18. De uma forma geral, qual é o histórico da franqueadora e sua experiência como operador do negócio e depois como franqueador?
    Qual a experiência que ela tem no sistema de franquias e se foi assessorada por alguma empresa para fazer o projeto e se estruturar como franqueadora.
  19. Quais são os diferenciais da marca em relação à concorrência já existente no mercado e como ele pretende se manter relevante ao longo do tempo?
    Existe uma cultura de inovação e renovação do negócio?
    É importante estudar o mercado e como a marca reage com os concorrentes.

 

_______________________________________________________________________

Você tem dúvidas sobre contrato de franquia ou sobre a COF? Confira dicas sobre o assunto clicando abaixo:

–   Análise do pré-contrato de franquias e quando e como formalizá-lo
–   O que deve ser analisado na Circular de Oferta de Franquia
–   Os royalties no contrato de franquias
–   Entenda como funcionam os contratos do segmento de franquias

 


Leia também o nosso guia completo sobre o sistema de franchising para esclarecer todas as suas dúvidas sobre como adquirir uma franquia.

Acha que tem um perfil específico para uma rede de franquias? Então veja como funciona o processo seletivo de uma franquia.

 


Confira outros materiais que preparamos para ajudar você a escolher a sua franquia:

 


Por Sammy Eduardo