Valores e princípios organizacionais nos programas de treinamento

29/06/2004

Adir Ribeiro*

“Se você acha treinamento caro, considere o preço da ignorância!” 

Com essa simples frase, Ray Kroc, fundador e grande responsável pela transformação do que é o McDonald’s hoje com mais de 30.000 restaurantes no mundo, mudou o conceito da capacitação no mundo empresarial, principalmente nas empresas que se utilizam do Franchising como um canal de distribuição de seus produtos ou serviços.

Imaginar quantos hambúrgueres são mal fritos, quantos lanches são mal preparados, quantos clientes são mal atendidos ou perdidos, enfim, tudo isso compõe o preço da ignorância, da falta de informação, da não capacitação e, finalmente, de resultados negativos para a empresa e para a marca. 

Portanto, entender exatamente o significado dessa frase faz a diferença entre programas de capacitação estruturados ou não. E, planejar um programa efetivo vai muito além do conteúdo somente, porque observamos constantemente sendo abordados conceitos da operação da loja, forma de preparo dos produtos, aspectos de marketing etc.

Mas não observamos, na maioria das vezes, uma apresentação institucional da empresa, seu histórico desde a criação dela, seus objetivos, missão, valores e princípios organizacionais, que promovam um alinhamento entre todos os franqueados da rede (e de suas equipes). E mais do que isso, uma apresentação dos principais executivos de cada área, como por exemplo, o responsável pela logística da rede, pela área financeira (que vai cobrar, durante a relação de franquia, os valores devidos pelos franqueados e as possíveis inadimplências), pela fábrica, pelo marketing, pela equipe de arquitetura e implantação, enfim, todos que fazem parte da empresa franqueadora e que, direta ou indiretamente, se relacionam com os franqueados. 

Entendemos que as pessoas só são fiéis aquilo em que acreditam, ou como sempre ensinamos nos cursos de vendas, como a primeira e mais fundamental regra comercial: “a gente só vende aquilo que a gente compra”. 

Se os princípios e valores organizacionais não estiverem claros, transparentes e bem divulgados, não criamos um círculo “virtuoso” (esqueçamos o círculo vicioso). Se o franqueado pertence a uma rede de franquias onde a proteção à natureza é parte da cultura e dos valores da empresa Franqueadora, e se esse mesmo franqueado não compartilha desse princípio de proteção à natureza, provavelmente terá problemas de desalinhamento de valores, ainda mais se, por exemplo, a sacola padronizada para toda a rede usar papel reciclável e custar um pouco mais caro que outros tipos de sacola (sem ser de papel reciclável). 

Portanto, como franqueadores, temos que comprar tudo isso (comprar aqui significa acreditar, compartilhar e “vender” isso para os outros) para o sucesso e maior alinhamento e comprometimento de toda a rede. Mas para os franqueados comprarem, antes os Franqueadores precisam “vender” isso. Mas como? Efetivamente, com muito treinamento e comunicação. 

Enfim, acreditar no investimento em capacitação e na constante comunicação com sua rede  seguramente agregará valor ao seu negócio e à sua marca, afinal, lembre-se sempre do preço da ignorância. 

Faz sentido para você? E para sua rede de franquias? 

Email: [email protected]
* Diretor do Grupo Cherto / Especialista em Franchising,
Professor e Palestrante do Instituto Franchising e da ABF (Assoc. Bras. Franchising).

Avaliação

NOTÍCIAS RELACIONADAS