Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

Escolha pelo menos um opção para sua busca

Ministro Luiz Fernando Furlan debate temas importantes no Fórum – Os desafios do Varejo

05/06/2006

Cerca de 300 pessoas participaram do Fórum – Os Desafios do Varejo, realizado dia 03/07, no Hotel Hyatt em São Paulo. O evento promovido pela Alshop e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) marcou o início dos debates que apresentam o intercâmbio com o Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Comércio e Serviço, vinculada ao Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e também pela Secretária do Trabalho e Emprego ligada ao Ministério do Trabalho e com apoio da ABF.

Na ocasião foi anunciada a realização da Convenção Mundial do Varejo das Américas, em setembro de 2007, em Brasília. Este será o primeiro encontro do gênero em território nacional.
O Fórum contou com a presença de personalidades do setor e autoridades governamentais, além da cobertura da imprensa. O ministro do MDIC, Luiz Fernando Furlan, durante a palestra  falou sobre a importância da geração de emprego, diminuindo a burocracia e favorecendo uma economia de escala. Comentou ainda sobre uma previsão de inflação de 4% até o final do ano e a queda na TJLP para 7,5% e defendeu a aprovação ainda para este ano da Lei Geral das Micros e Pequenas Empresas.

Paulo Okamotto, presidente do Sebrae esteve presente ao evento acredita que a Lei Geral trará muitos benefícios ao setor. `A Lei Geral será a redenção do setor. Com ela, poderemos contar com mais justiça tributária, ordenamento fiscal e diminuição da informalidade`, disse.

Para o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, o apoio do Ministério do Desenvolvimento é o primeiro passo no estabelecimento de um canal de comunicação permanente com o Governo Federal na busca de soluções para problemas relevantes do varejo nacional. Nabil Sahyoun antecipou que pretende realizar encontros desse tipo a cada três meses.

O ministro Furlan citou algumas melhorias do atual governo para o setor, como a desoneração dos bens de capital, computadores, materiais de construção, entre outras. Falou do projeto PL33, o qual prevê que toda mercadoria apreendida, uma vez provada a fraude, seja destruída e não mais encaminhada a leilão, como acontece hoje. Furlan ressaltou ainda que a perda total deverá inibir operações fraudulentas e lembrou da importância da internacionalização das empresas brasileiras.

`Acompanhei o setor de franchising recentemente à feira em Lisboa, Portugal, e mais uma vez pude sentir a vibração do segmento. Existem muitas oportunidades fora do território nacional. O Brasil é um país grande e o nosso mercado é muito forte`, disse.

Em debate aberto ao ministro, o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Artur Grynbaum, perguntou das dificuldades do setor, como a questão do `Simples`. Em resposta, Furlan afirmou que acredita cada vez mais nas possibilidades do projeto ser aprovado.

O presidente da ABF levantou a questão da representatividade do varejo e de que modo os investidores podem ter uma participação mais ativa. Ao que o ministro respondeu com um pedido: `é muito importante que haja encontros como esse e que os empresários tragam suas propostas, unam-se para que possamos avançar e melhorar. Só assim consolidaremos ainda mais o mercado. Há muitos desafios para o Brasil e também oportunidades para continuar o processo de melhorias, mas depende de nós – governo e sociedade. Não acredito em soluções mágicas. Um grande problema se decodifica em pequenas mudanças significativas`, afirmou.

Sobre o Fórum, o presidente da CNDL, Carlos Henrique Lavandowski, concluiu: `é uma oportunidade para debatermos temas comuns e importantes para nosso setor. Unindo forças, abrimos caminhos e planejamos soluções para questões pendentes de nossa atividade`.

Para o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Carlos Oliveira, as parcerias só podem trazer benefícios para os setores. `Os supermercados sempre buscam o melhor preço possível, mas os valores são formados na indústria e, quanto menor o preço ao consumidor, mais iremos vender, por isso somos parceiros nesse projeto`, comentou.

Compondo as autoridades governamentais para debater a ética na política, estiveram presentes também o deputado federal Ricardo Izar e o presidente-executivo do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial, Emerson Kapaz.

Marcel Solimeo, Superintendente Institucional da Associação do Comércio de São Paulo (ACSP), Ricardo Patah, presidente do Sindicato dos Comerciários do Estado de São Paulo, Nabil Sahyon, presidente da Alshop e Osvaldo Bargas, chefe de gabinete do Ministro do Trabalho e Emprego, falaram sobre a necessidade de uma revisão da legislação trabalhista em vigor, a adoção no Brasil de regras praticadas por países desenvolvidos e sobre o comércio varejista e suas ações para ampliar a renda dos trabalhadores e assegurar o bem-estar social ao desenvolverem o tema `A Abertura Permanente do Comercio Varejista`.

Ainda como parte da programação, estiveram presentes para falar do impacto da informalidade no desenvolvimento do país, Aprígio Rello Júnior, diretor do Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV) e Alcides Terra Júnior, vice-presidente da Associação Nacional dos Restaurantes.

NOTÍCIAS RELACIONADAS