Franquias crescem 9% em Sorocaba

05/09/2017

Jornal Cruzeiro do Sul – José Antonio Rosa – 27/08 Cresceu 9% o total de unidades franqueadas em Sorocaba em dois anos, segundo levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF). De acordo com os dados, o número de estabelecimentos do ramo passou, no período de 2015 até o primeiro semestre de 2017, de 509 para […]

Jornal Cruzeiro do Sul – José Antonio Rosa – 27/08

Cresceu 9% o total de unidades franqueadas em Sorocaba em dois anos, segundo levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF). De acordo com os dados, o número de estabelecimentos do ramo passou, no período de 2015 até o primeiro semestre de 2017, de 509 para 532.

Esse resultado coloca a cidade na oitava posição do ranking estadual que relaciona as 10 em número de unidades franqueadas. A ABF não dispõe de números que dimensionem o volume de empregos gerados e também o montante que as operações das empresas movimenta. Os empreendimentos aqui aportados, ainda de acordo com a associação, têm predominância nas áreas alimentação (38%); saúde, beleza e bem-estar (16%) e serviços educacionais (11%).

Os números da ABF diferem da pesquisa da consultoria Rizzo Franchise, que apontava 1.057 unidades de franquias na cidade em 2016, conforme reportagem publicada pelo jornal Cruzeiro do Sul, em março.

Conforme a ABF, em 2015, 260 marcas operavam no município, número que no ano seguinte, 2016, caiu para 232, e subiu, este ano, para 256. Franqueados que têm negócios em Sorocaba destacam fatores que, segundo eles, asseguram o retorno do investimento.

Potencial

O empresário Ahmad Yassin, da Vestcasa — especializada em produtos de cama, mesa, banho e decoração — disse que escolheu Sorocaba por que a marca busca se desenvolver com a cidade. Ele acrescenta que o público consumidor pede a expansão da rede no município. Atualmente, Yassin administra duas unidades em Sorocaba e planeja abrir outras 14 em 2018.

A marca, diz o empresário, tem como meta conquistar capilaridade no interior do Estado e Sorocaba ocupa posição de destaque até por conta da potencialidade de consumo, similar ao capital paulista. O investimento inicial para quem pretende ingressar no ramo da Vestcasa é de R$ 200 mil, e a taxa de franquia, R$ 30 mil.

Leone Schultz, da Mineiro Delivery (rede de franquia de comida “in box”) observa que Sorocaba cresceu em número de habitantes nos últimos seis anos acima da média nacional. “Os estudos mostraram um cenário deficiente no fornecimento de alimentos delivery e vimos nisso o grande potencial.”

A marca tem como meta abrir três unidades em Sorocaba até 2018, das quais prevê inaugurar a primeira ainda este ano e as outras duas até final do ano que vem. O investimento inicial para ser um franqueado da rede custa em torno de R$ 126 mil para o modelo de negócio delivery. Já o formato com atendimento no local custa em média R$ 140 mil.

O médico Edson Ramuth, da Emagrecentro (franquia de serviços estéticos) prevê a inauguração este ano de duas unidades e mais uma até o final de 2018. O valor do investimento é de R$ 59,5 mil, com perspectiva de faturamento mensal em torno de R$ 30 mil, segundo Ramuth.

 

QUERO MAIS INFORMAÇÕES DESTA FRANQUIA!

 

A Sigbol Fashion (cursos de moda) está em expansão em Sorocaba. O diretor da empresa, Aluizio de Freitas, diz que a marca já possui uma unidade em operação e deve abrir uma segunda até o final do ano. A rede tem três formatos: Smart Plus (investimento médio de R$ 49,5 mil), Smart (R$ 79 mil) e Full (R$ 115 mil).

 

QUERO MAIS INFORMAÇÕES DESTA FRANQUIA!

 

Interior atrai interesse

Dependendo do perfil do investidor e da marca que ele escolhe para representar, ser franqueado pode ser um bom negócio, avalia o consultor José Carlos Gogira Fugice. Segundo ele, o que determina a escolha de uma cidade para aporte de negócios é a afinidade que o interessado mantém com ela e o seu respectivo potencial de mercado.

“Escolher uma cidade somente pela estatística pode ser um grande erro, pois o sucesso do negócio vem da gestão do dia a dia. Se a cidade é boa, mas o franqueado não gosta dela, provavelmente haverá problemas futuros para serem gerenciados. O contrário também é verdade, ou seja, se o investidor gosta da cidade, mas ela não tem potencial de mercado, as chances de sucesso diminuem substancialmente”, diz Fugice.

O consultor afirmou ao Cruzeiro do Sul que o interior de São Paulo concentra cerca de 20% do potencial de consumo nacional. Sorocaba é uma das principais cidades, acrescenta. “Trata-se de um município com mais de 650 mil habitantes e mais de 40 mil estudantes universitários, segundo dados do OnMaps, da Geofusion.”

Segundo Fugice, o impacto da crise no mercado de franquias foi grande. “O que observamos é que quem fez bem a lição de casa, continua firme e forte”.

Ele traçou o perfil do empreendedor de franquias no interior: “Empreendedores que residem nestas cidades ou que tenham parentes, amigos, ou aqueles que buscam viver num lugar mais calmo e menos estressante dos grandes centros urbanos são as pessoas que decidem apostar nesse nicho de oportunidades”.

Somente no segundo trimestre deste ano, o mercado de franquia no País cresceu 8,4% comparativamente ao mesmo período do ano passado. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o volume de negócios dentro desse segmento saltou de R$ 144,6 bilhões para R$ 156,7 bilhões.

A situação de Sorocaba não é mapeada, mas Fugice afirma, com base em dados do OnMaps da Geofusion, que a cidade responde por cerca de 0,38% do potencial de consumo total do Brasil, ou seja, de cada R$ 100 gastos no Brasil, R$ 0,38 são gastos em Sorocaba.

Avaliação

NOTÍCIAS RELACIONADAS