Gestão financeira para seguir na rota sem ter que decolar
Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

«
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Como seguir na rota sem ter que decolar


28/10/2021


Gestão FInanceira

Não resta dúvida de que o avião dos negócios não decolou como era esperado nesse 2021 e o radar mostra grandes turbulências para 2022.

É difícil elaborar estratégias, planejar investimentos e ações, nesse cenário de tanta instabilidade econômica e que é afetada também pela política.

As ações e consequências da economia e da política se integram, se retroalimentam e se somam às mudanças de hábitos e costumes dos consumidores, alterando tudo que havia sido imaginado no passado recente.

Nesse momento, as empresas que não possuem um caixa capaz de suportar despesas mal calculadas, erros estratégicos ou retrabalhos, estão, na melhor das hipóteses hibernando, boiando apenas, chorando seus prejuízos e tentando definir suas ações futuras, que não podem conter o perigo de gastos que não resultem em resultados positivos a curto prazo.

Falamos aqui de planejamento estratégico bem feito.

Não há mais tempo para titubeios e indecisões, mas seguimos vendo e ouvindo que “antes vou fazer isso ou aquilo, depois faço as mudanças maiores”.

Quantas empresas não fazem a menor ideia do que é apenas importante, do que absolutamente urgente e de quais medidas são urgentes e importantes!

Se prendem ao passado, como sempre fizeram, se esquecendo que o passado já foi e “o que era já morreu”.

O tempo está se esgotando.

As empresas com pouco caixa (com certeza a grande maioria daquelas do mundo real) precisam colocar o foco em sua gestão financeira, enquanto planejam ações alternativas que possam agregar valor à sua marca e ao seu faturamento.

Não existe nada mais prioritário do que implantar uma gestão financeira efetiva, para que se possa olhar para adiante e ter a medida do que é urgente, do que deve ou pode ser feito, ou seja, ter os indicadores financeiros corretos que nos permitam planejar. Simples assim.

Pequenas e médias empresas: quantas de fato possuem uma gestão financeira profissional, com plano de contas, DRE, fluxo de caixa, controles e indicadores?

Quem aí saberia explicar para seus funcionários a diferença entre DRE e fluxo de caixa ou entre “caixa e competência”?

Ah! Essas afirmações podem parecer ridículas ou exageradas, mas é o que vemos em nosso dia a dia (ano após ano) com centenas de empresas clientes.

Sabe aquela história do técnico de futebol que no vestiário, antes da partida, chama os jogadores e diz: “a estratégia é a seguinte…entramos em campo e vamos ganhar”.

Pois é: apenas isso não vai funcionar!

Faturamento e resultados de lucratividade exigem bem mais do que discursos ou apenas vontade.

Mesmo não decolando com resultados magníficos, tão difíceis nesses tempos, podemos seguir uma boa rota, que pode nos garantir o hoje e o amanhã, mas para isso é preciso uma gestão financeira correta e completa, assim como o piloto precisa de um plano de voo, mesmo que voe baixo.

Fonte: Ancona Consultoria