Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

Escolha pelo menos um opção para sua busca

Juarez Leão conta como foi a missão de prospecção à cidade de Santiago, no Chile

02/04/2007

O diretor da ABF, Juarez Leão, integrou a comissão de prospecção da APEX-Brasil ao Chile, no último mês, com o objetivo de levantar informações daquele mercado para incentivar os negócios entre os dois países. Oito setores da economia brasileira integraram a comitiva entre eles moveleiro, eletroeletrônico, indústria plástica e franquia.

Durante a viagem, o diretor da ABF visitou a Associação dos Franqueados Chilenos, empresas de consultoria em franquias, universidades e uma cadeia de shopping center para pesquisar como funciona o setor no país e sentir o interesse dos investidores locais no franchising brasileiro. `Embora, haja uma grande empatia dos chilenos em relação aos brasileiros e culturas muito parecidas, praticamente, não há negócios de franquia entre Brasil e Chile,` afirma Juarez. Ressaltando, que as redes brasileiras presentes no País são Via Uno, Localiza e O Boticário.

Ainda segundo o executivo, o mercado de franquias do País é composto por redes americanas (50%), redes de países europeus (35%) e (15%) de redes locais. Os principais entraves apontados pelos chilenos para a negociação com os brasileiros são a complexidade tributária do Brasil, dificuldade com o idioma e transporte e logística. Para os brasileiros além desses problemas, há a falta de uma lei de franquia no Chile, lá o sistema é regido pelo código comercial.

O comércio chileno é bem diferente do brasileiro, com três grandes redes, Armazém Paris, Fallabella e Ripley, praticamente, monopolizando o varejo. `São lojas de departamento muito grandes, com linhas de crédito próprias, onde se encontra de tudo, alimentos, perfumaria, bebidas, eletroeletrônicos, produtos de linha branca, roupas, eletrodomésticos, entre outros produtos.

Por isso, as redes que desejam entrar no país precisam se diferenciar para ganhar espaço,` explica Juarez. Na opinião de Juarez, o mercado chileno oferece boas oportunidades para os segmentos de alimentação, acessórios pessoais e calçados, vestuário, perfumaria e cosmético. `É uma boa hora para investir, pois o País está com oferta de dinheiro, tem baixas taxas de juros, uma classe média com forte desejo de consumo e dinheiro para gastar`, afirma.

Palestra

No dia 30 de maio, será realizado um Encontro de Internacionalização na sede da ABF, para os associados interessados em expandir seus negócios para o exterior. Juarez Leão apresentará uma palestra sobre o mercado chileno com todas as informações levantadas durante a viagem. Na ocasião, será feita, também, uma apresentação sobre o mercado francês de franquias, ministrada por José Schwartz, que representou a entidade na feira de franquias ocorrida no mês de março, em Paris.

Missão Comercial

Em junho, a APEX-Brasil promoverá uma rodada de negócios no Chile e poderão participar desta ação oficial do governo brasileiro as empresas interessadas neste mercado. A ABF informará oportunamente mais detalhes sobre esta missão e como as empresas associadas poderão se inscrever.

NOTÍCIAS RELACIONADAS