Franquias investem em estratégias de treinamento

07/12/2017

Em tempos de crise, o valor da capacitação aumenta para as redes de franquias. Franqueadores têm investido em novas estratégias de treinamento e formação para impulsionar os negócios dos franqueados. Rodrigo Albuquerque, diretor de expansão da rede americana de petshops Petland no Brasil, considera a capacitação fundamental para a geração de valor. A rede, que […]

Franquias investem em treinamento para impulsionar negócios

Em tempos de crise, o valor da capacitação aumenta para as redes de franquias. Franqueadores têm investido em novas estratégias de treinamento e formação para impulsionar os negócios dos franqueados. Rodrigo Albuquerque, diretor de expansão da rede americana de petshops Petland no Brasil, considera a capacitação fundamental para a geração de valor. A rede, que possui 54 lojas em nove Estados brasileiros, conta com pelo menos uma universidade corporativa em cada Estado.

“Lá, os franqueados têm acesso a treinamento em todos os aspectos que envolvem a operação de petshop e a todas as ferramentas necessárias para a gestão do negócio, que é um dos principais gargalos para as franquias”, explica Albuquerque.

A modelo de capacitação da Petland conta ainda com um programa de apoio, que visita as lojas mensalmente para avaliar todos os itens da operação. “Isso aponta os gargalos de cada loja e quais as necessidades de reciclagem”, diz Albuquerque.

No Rio de Janeiro, enquanto prepara a expansão para outros Estados, a rede de pizzarias Vezpa finaliza a instalação da Casa Vezpa, uma loja-escola para centralizar o treinamento de franqueados e funcionários. “Fazíamos a capacitação em lojas regulares, mas quando a rede cresceu, isso ficou inviável”, conta Assur Fernandes, CEO da rede. “Havia gente demais, e isso atrapalhava o funcionamento das lojas e a prejudicava a qualidade da capacitação”.

Peixoto Accyoli, diretor-executivo da Re/Max Brasil, rede de franquias de corretoras imobiliárias, acredita que as novas soluções de educação corporativa devem servir para que as redes de franquia voltem para o básico. “O objetivo é implantar e reforçar a cultura da companhia na rede de franqueados e não reinventar a roda”, afirma.

Isso significa capacitação voltada para gestão, técnicas de vendas e para os diversos aspectos da relação entre franqueadores e franqueados. Participando de um curso de reciclagem da Re/Max nos Estados Unidos, Accyoli explica que além de manter uma universidade corporativa em São Paulo, a empresa vem investindo no ensino a distância e na realização de transmissões ao vivo para ampliar o alcance do seu programa de treinamentos. “Também estamos estudando a criação de material de capacitação em formato de game, para tornar a fixação do conteúdo mais atrativa”, diz.

Valor Econômico – Carlos Vasconcellos – 30/11/17

Avaliação

NOTÍCIAS RELACIONADAS