Saiu de casa aos 15 anos e abriu negócio milionário antes dos 30
Saiu de casa aos 15 anos e abriu negócio milionário antes dos 30

Encontre aqui as melhores franquias

«
  • Tipos
  • Tipos
Escolha pelo menos um opção para sua busca
Instituto Visão Solidária

Ele saiu de casa aos 15 anos e abriu negócio milionário com menos de 30 anos

24/11/2023

Tony Cozendey saiu do interior de Rondônia por necessidade, e fez carreira profissional na venda de óculos de grau e de sol

Após abrir sete unidades próprias ele criou sua própria franquia, o Instituto Visão Solidária, e projeta faturar R$ 18 milhões com apenas 1 ano no franchising.

O sonho de ter o seu próprio negócio fez com que Tony Cozendey saísse de casa muito cedo, aos 15 anos.

Filho de comerciante, ele viu o negócio da família falir e terem que se mudar para um sítio próximo a cidade de Buritis, no interior de Rondônia.

As dificuldades enfrentadas pela família fizeram com que o jovem saísse muito cedo de casa.

Hoje, aos 32 anos, Tony é dono da franquia Instituto Visão Solidária (IVS), rede do setor óptico, que soma 29 unidades espalhadas pelo Brasil, que faturou no ano passado R$ 6 milhões.

Seu primeiro emprego foi em uma fábrica de lajotas de cimento, em Buritis, interior de Rondônia.

Porém, com apenas 45 dias de trabalho, seu então patrão o fez uma oferta para ele trabalhar em seu outro negócio, uma empresa de ótica, como office boy e também para montar óculos.

Comunicativo, em pouco tempo começou a auxiliar nas vendas e se tornou vendedor.

 

A oportunidade chegou!

O primeiro contato de Tony com o setor de ótica chegou quando ele tinha apenas 15 anos.

“Digo que não fui eu que escolhi esse segmento, ele me escolheu ainda muito cedo e tive muitos aprendizados.

Sou grato ao meu primeiro patrão até hoje pela oportunidade que ele me deu de aprender esse negócio incrível.

Meu percurso foi de grande aprendizado e adquiri novos conhecimentos ao longo do tempo”, relembra Cozendey.

Lembra do sonho que Tony tinha de empreender quando saiu de casa?

Então, ele conseguiu abrir seu primeiro negócio aos 19 anos, uma loja de ótica na cidade na capital do Acre, Rio Branco.

Aos 18 anos Tony saiu de Rondônia para ir ao Acre para se tornar gerente de outra operação do mesmo ramo.

Um ano depois, o dono queria vender a loja, então Tony se ofereceu para arrendá-la, e em apenas oito meses conseguiu comprar a ótica.

Para ele, a possibilidade de transformar a visão das pessoas através dos óculos, e principalmente, impactar positivamente a autoestima das pessoas despertou ainda mais seu interesse pelo segmento óptico.

A falta de informação de mercado e pouca experiência fez com que ele vendesse o empreendimento cinco anos depois e partisse em busca de mais conhecimento.

Tony largou a região norte e partiu com a cara e coragem para a cidade do Rio de Janeiro, em 2015.

Lá começou a trabalhar como supervisor comercial de uma indústria de lentes oftálmicas, onde se fazia bloco para vender para laboratórios até o produto final para vender para óticas.

“Foi nessa indústria que tive um insight para criar um novo negócio próprio.

Entendi que era possível inovar a experiência e vendas de óculos no Brasil, quebrando o conceito de que óculos de qualidade são caros.

Continuei trabalhando nessa indústria, e paralelamente criei a minha marca, o Instituto Visão Solidária (IVS), sem loja física nesse momento inicial”, relembra.

 

De porta em porta

A princípio Tony formou equipes por alguns estados do Brasil, onde visitavam as cidades do interior, principalmente das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, e comunidades do Rio de Janeiro, divulgavam os produtos de porta em porta para o cliente final e vendiam os óculos por valores mais acessíveis.

Em menos de um ano de empreendimento a equipe comercializava em torno de 2 mil óculos por mês, e o principal era que as pessoas pagavam em uma peça em média 50% mais barato que as óticas convencionais.

Foi nessa época, entre 25 e 26 anos de idade, que conseguiu alcançar seu primeiro R$ 1 milhão no faturamento.

Tony pontua que ter um produto com um preço mais em conta só foi possível porque conseguiu fazer excelentes parcerias com fornecedores, algo que percebeu ser possível trabalhando dentro de uma fábrica do setor óptico.

Com o tempo, o serviço se tornou cansativo para a equipe, foi então que surgiu a ideia de abrir lojas físicas, mas com a ideia principal de continuar oferecendo óculos por valores mais acessíveis.

Em 2017 Tony largou o emprego fixo na indústria para abrir a primeira loja física do IVS, na cidade de Cuiabá (MT).

“Foram 15 anos no varejo óptico e também na indústria de lentes e de armações.

Abri a primeira loja com intuito de continuar inovando no segmento e continuar proporcionando aos consumidores e clientes uma experiência única na compra dos óculos.

Criamos então nossa loja com preço único nas armações, experiência de autoatendimento na escolha das armações, lentes de marca própria com altíssima tecnologia e preços justos”, relembra.

Depois da unidade em Cuiabá, outras seis vieram em seguida: Sorriso, Tangará da Serra, Rondonópolis, Cuiabá (2ª unidade), Nova Mutum, Barra do Garças, todas no Mato Grosso.

Crescimento em ritmo acelerado e tendo uma boa receptividade do público, era hora de dar um novo passo, franquear o negócio.

“Franquear une duas coisas que ardem no meu coração: tornar nosso projeto grande e fazê-lo se espalhar pelo Brasil todo, levando uma experiência única na compra dos óculos e ainda ajudar pessoas a melhorarem suas vidas através do empreendedorismo.

Estudei muito sobre o franchising, e em novembro de 2022 lançamos oficialmente a comercialização de franquias”, diz o executivo.

 

Modelo de negócio

A franquia Instituto Visão Solidária conta com um mix amplo e segmentado em armações receituários exclusivas e de marca própria, tanto masculinas quanto femininas, para adultos e crianças, óculos solares, além de todos os formatos de lentes no mercado, unifocais, bifocais, multifocais, tratamentos antirreflexo e fotossensíveis.

Todas as unidades têm laboratório próprio, o que possibilita a entrega dos óculos de grau (armação e lente) em até 1 hora.

Para empreender nesse negócio é necessário investimento inicial a partir de R$ 180 mil (incluso taxa de franquia de R$ 40 mil + R$ 120 mil de gastos com instalação e equipamentos + R$ 20 mil de capital de giro).

Esse valor é referente a uma loja de 30 m2, com dois colaboradores.

O valor pode aumentar de acordo com as características e tamanho do imóvel a ser locado.

O faturamento é muito atrativo onde é possível alcançar entre R$ 60 mil a R$ 150 mil por mês, conforme o desempenho do franqueado.

Já o lucro líquido mensal é estimado entre 20% e 30% sobre o faturamento, com retorno previsto do investimento entre 13 e 18 meses.

O modelo de negócio da franquia IVS é ideal para cidades acima de 10 mil habitantes, podendo ser montado tanto em lojas de rua como em shopping center.

Tony enfatiza que a ideia central da marca é ser uma empresa que se diferencie das óticas tradicionais, através do modelo diferenciado e inovador.

Com mais de 100 mil armações comercializadas desde que a marca foi lançada, hoje o carro-chefe da empresa são os óculos de grau que representam 80% das peças comercializadas.

As armações são vendidas com valor único de R$ 49,99, enquanto os óculos de sol são encontrados a partir de R$ 79,99.

São mais de dois mil modelos de armações nas lojas, sendo todos de marcas próprias, entre eles, o do próprio Tony Cozendey que assina uma linha exclusiva para a rede de franquias.

 

Cresceu mais de 300% em menos de 1 ano

Em menos de um ano no mercado de franchising, o Instituto Visão Solidária cresceu mais de 300%, e atualmente conta com 10 unidades próprias e 19 operações comercializadas, que totalizam 29 unidades do Instituto Visão Solidária, presentes em cidades como: Pato Branco, Francisco Beltrão, e Curitiba, no Paraná; Tangará da Terra (2 unidades), Rondonópolis (2 unidades), Primavera do Leste, Sinop, Cuiabá (2 unidades), Sorriso, Nova Mutum, Barra do Garças, no Mato Grosso; São Luís (2 unidades) e Açailândia, no Maranhão; Santo André e Taubaté, São Paulo; Inhumas, em Goiás; Teresina, no Piauí; Itajaí, em Santa Catarina; Castanhal, no Pará; Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena, em Rondônia; Dourados e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, e Nova Iguaçu, no RJ.

Para este ano a franquia IVS projeta alcançar 40 unidades vendidas e faturamento previsto em R$ 18 milhões.

Já para os próximos quatro anos, a expectativa é chegar a 400 unidades comercializadas.

“Não foi fácil deixar minha casa tão jovem, mas enfrentávamos muitas dificuldades e eu tinha um sonho maior.

Olhando hoje para trás vejo que consegui chegar lá!

Sei que tenho muito o que alcançar ainda, mas me sinto realizado em tão pouco tempo no mercado de franchising atingir resultados que empresas sólidas, por exemplo, não conseguiram.

O IVS veio para quebrar paradigmas antigos, tornar os óculos mais acessíveis levando peças de qualidade.

Essa é a nossa missão”, finaliza Cozendey.

 

QUERO MAIS INFORMAÇÕES DESTA FRANQUIA!

 

Fonte: Fatos&Ideias Comunicação