var lazyload = new LazyLoad({ elements_selector: ".lazy" }); }
Franquias para profissionais de saúde: há diversas opções
Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

«
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Franquias para profissionais de saúde terem um negócio de sucesso


28/04/2021


franquias para profissionais da área de saúde

Médicos, cirurgiões-dentistas, enfermeiros, fisioterapeutas… Não importa a profissão na área da saúde, todos podem encontrar no franchising uma grande oportunidade de ampliar a carreira.

O legal é que há muitas franquias que podem ser ótimas opções de investimento para os profissionais da saúde.

Muitos dentistas, por exemplo, optam por uma franquia de odontologia para ter seu consultório próprio.

Há enfermeiros que investem em franquias de cuidadores e médicos que buscam clínicas populares para começar o negócio próprio.

Isso é uma ótima oportunidade, pois muitas vezes os profissionais da saúde têm um grande conhecimento técnico, mas não sabem como gerir um negócio.

Com a franquia eles têm o apoio para colocar em prática o sonho de ter o próprio consultório, por exemplo.

Dulcimara Menezes, consultora do Sebrae, ressalta os benefícios de investir em uma franquia.

“Podemos destacar dois benefícios de empreender com franchising: a marca, que possui visibilidade do nome no mercado, e o modelo de gestão padronizado, que envolve sistema, divulgação, treinamento, fornecedores, estudo de ponto, produtos e suporte”, explica.

Outra vantagem é ter um negócio em um sistema que traz resultados para seus franqueados.

Para a diretora executiva da ABF, Silvana Buzzi,

“a ABF tem notado que nesta área tem acontecido um “casamento” muito feliz: do conhecimento técnico dos médicos e outros profissionais com o conhecimento de gestão, marketing e atendimento ao público das franquias. O desenvolvimento da marca é outro fator importante que o franchising aporta neste segmento, ajudando muito a atrair clientes”.

Por sinal, o segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar apresentou o melhor resultado do setor em 2020.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento faturou R$ 35,276 bilhões, um aumento de 3,1% em relação a 2019.

Mas há também histórias de pessoas que decidiram mudar de segmento totalmente na hora de investir.

Alguns optaram por sair da área e se dedicar integralmente para a franquia, enquanto outros ainda conciliam a carreira com a franquia.

Separamos algumas histórias legais de profissionais da saúde que são franqueados e estão muito felizes com os seus negócios!

Confira:

Gustavo Gonçalves Louzano, 43 anos, é médico e franqueado da Turquesa Esmalteria

O principal objetivo de investir em uma franquia era aumentar a renda e reduzir a dependência financeira do ramo da saúde, já que eu e minha esposa somos da área. Médicos ganham bem, mas chegamos em um certo patamar e estabilizamos. Para alcançar outro nível, é preciso investir e empreender.

Então o motivo principal foi tentar aumentar a renda e sair desse ambiente hospitalar, com pessoas com enfermidades e em sofrimento. Quisemos fazer algo diferente e procurar novos conhecimentos, pois sempre gostei de estudar diversos temas.

Até mesmo na área médica nunca fiquei isolado em apenas uma área. Sempre procurei aprender coisas novas. Queria trazer mais alegria e felicidade e reduzir plantões aos finais de semana.

Além disso, investir em franquia era um sonho antigo, mas eu queria ter alguém de confiança para me ajudar. Depois que me casei, em 2015, tive essa pessoa, que é a minha esposa. Ela também vem da área médica e, após a doença dos pais, a franquia foi uma alternativa profissional para que ela pudesse seguir no trabalho.

Na minha atividade como médico, trabalho três finais de semana por mês. Mas o meu horário de trabalho permite que eu chegue em casa às 15h todos os dias. Então eu tenho certa flexibilidade para fazer a gestão do negócio. Decidi abrir o negócio, pois era possível no meu caso. Eu tinha esse tempo disponível e certa estabilidade financeira.

Então hoje a minha esposa fica na unidade e eu ajudo com a gestão do negócio. Temos um planejamento financeiro e objetivos bem definidos. No dia a dia estou por dentro de tudo o que acontece. Monitoro a loja por meios eletrônicos, converso com as profissionais e vou com frequência até a unidade para ajudar.

A principal vantagem, eu diria, é que os profissionais de saúde estão adaptados a exercer um trabalho sob pressão e com cuidado.

Profissionais de saúde estão habituados a tratar bem e ouvir as pessoas. Então foi uma união que fazia total sentido. É um diferencial para nós estarmos acostumados a lidar com o público.

A principal desvantagem é a falta de experiência na área de empreendedorismo, embora a franqueadora nos dê assistência. É a parte mais difícil. Também sentimos um pouco de dificuldade para trabalhar o marketing digital, mas a unidade tem funcionado bem mesmo com a pandemia. 

Eu penso que o mais importante antes de abrir franquia ou qualquer negócio é planejar com calma e ter reserva financeira. Contar com a ajuda de alguém de confiança também é muito importante. Não adianta fazer as coisas de forma apressada e precoce.

E a maioria das pessoas não têm esse planejamento financeiro.

Conheço médicos que ficaram três meses sem trabalhar na pandemia e viram suas reservas esgotarem. Então planeje e trabalhe para viver e não viva para trabalhar. É o que eu penso.”

Para saber mais sobre a franquia Turquesa Esmalteria, clique aqui.

 

 


Dacio Yoshikasu Ogata, cirurgião plástico, 40 anos e franqueado do Sterna Café no Hospital Ruben Berta

“Eu decidi investir na franquia porque sempre foi um sonho ter uma cafeteria. Essa vontade voltou à tona no final de 2018 quando minha filha nasceu e minha esposa, Ionne Sakiko Kagohara, não tinha vontade de retornar ao antigo emprego.

Juntamos nossos sonhos de ter uma cafeteria e um negócio próprio e fomos atrás de uma franquia, pois sabia que não teria jeito de começar um negócio do zero. Após muitas procuras encontrei o Sterna Café.

Na hora de fechar o ponto da cafeteria, escolhi um local que tivesse minha cara, e na época tinha contato com o diretor do Hospital Ruben Berta, ofereci essa ideia e ele aprovou.

Eu sou cirurgião plástico, atuo e tenho todos os dias praticamente ocupados. Só consegui tocar o meu negócio por causa da minha esposa, sem ela nada disso seria possível. Não estou na gestão e na operação do café por causa do meu trabalho, mas eventualmente estou sempre ajudando quando tenho tempo livre.

A vantagem é que o profissional da saúde, principalmente o médico, não tem ideia de como funcionam as outras profissões e áreas fora da nossa formação médica. Então quando investimos em algum negócio, precisamos de uma segurança para começar em um novo ramo, com apoio, ajuda e orientações, e é aí que entra a franquia.

A desvantagem é que com a cafeteria em andamento, começamos a ter vontade de colocar um produto diferente ou mudar um pouco o estilo, mas não temos liberdade para isso devido aos fornecedores. Mas entendo que a franquia precisa manter um padrão em relação às outras unidades.”

Para saber mais sobre a franquia Sterna Café, clique aqui.


Andrea Masson, 39 anos, é dentista e franqueada da Royal Face desde 2019

“A decisão de investir em uma franquia partiu após pesquisar mais sobre o mercado de franchising, onde veio a ideia de investir mais especificamente no mercado de estética, área que vem tendo um enorme crescimento nos últimos anos, principalmente no Brasil.

Sou dentista há 18 anos. Já atuava nesta área estética no meu consultório odontológico. Sou especialista em Harmonização Facial, onde venho me dedicando há mais de 5 anos como professora e palestrante, o que estava me deixando cada vez mais ausente do dia a dia de consultório odontológico.

A Royal Face veio através das pesquisas na internet, onde fui buscar mais informações sobre o plano de negócio. Descobri que a Dra Andrezza, CEO da Royal Face, é minha colega de profissão. Decidi então ir até Curitiba como cliente oculto na unidade dela. Neste mesmo dia a conheci pessoalmente e me identifiquei muito com a história dela e com o modelo de negócio dela. Saí de lá já decidida a abrir uma Royal Face na minha cidade.

A partir daí que surgiu essa ideia da franquia, pois através do suporte da franqueadora eu poderia me dedicar mais a minha carreira como professora, além de estar nos bastidores de um negócio que estaria dentro da minha área de atuação, onde poderia aliar minha expertise técnica na área de harmonização com a expertise de negócio da franqueadora, o que vem dando muito certo, tanto que hoje já sou multi franqueada Royal Face, no último mês minhas 3 unidades ficaram entre as 5 primeiras da rede, sendo Blumenau em primeiro lugar por 4 vezes nos últimos 5 meses.”

Hoje, não atuo mais como dentista, mas continuo me dedicando às minhas aulas e palestras, dou suporte técnico às equipes de profissionais das minhas franquias e sou muito atuante na gestão das minhas unidades. Ou seja, através das franquias eu consegui uma fonte de renda sem depender exclusivamente da minha presença, e que ainda me possibilita continuar me dedicando mais aos estudos para levar excelência aos nossos clientes.”

Para saber mais sobre a franquia Royal Face, clique aqui.

 

Priscila F.S Pissardo Lee, 35 anos, é fisioterapeuta e tem 2 unidades do Buddha Spa

“Estava procurando um negócio para diversificar minha renda e ter mais liberdade na rotina de trabalho sem deixar o meu consultório, portanto decidi abrir uma franquia por entender que teria um maior suporte na gestão e uma base de marcado já formada.

Hoje minha rotina se divide em atender em meu consultório particular e gerir os 2 spas.

Ainda meu consultório é a maior parte de minha rotina, tento manter 3 dias na semana de consultório e 2 dias na semana para as franquias, porém estou sempre presente nos spas através de mensagens e contato telefônico com minha equipe. Entendo que é importante manter uma equipe bem alinhada comigo para conseguir manter uma boa gestão.

A maior vantagem em ter as franquias do Buddha Spa sendo fisioterapeuta é ter familiaridade com os serviços prestados, sendo assim consigo manter uma equipe técnica mais bem preparada para o atendimento.

Uma desvantagem é a falta de rotina que minha profissão de fisioterapeuta exige, pois as demandas das empresas nem sempre são fixas e não consigo estar presente em alguns momentos pois não tenho horário fixo para trabalhar.”

Para saber mais sobre a franquia Buddha Spa, clique aqui.

 

 

Denise Isabel Luiz Ducco, 44 anos, é enfermeira e franqueada Home Angels Unidade Pacaembu

A franquia  traz segurança e visibilidade ao novo empreendedor. Empreender no Brasil já é um grande desafio, principalmente por profissionais que pautaram sua carreira no mundo corporativo. A segurança advém de um modelo de negócio já testado, implementado, com resultados sólidos e se replicados terão ganhos futuros.

Outro fator muito importante é a identificação com a marca. Entrar em um mercado, como o mercado de saúde, que é extremamente competitivo, com inúmeros players de grande prestígio, faz com que a implantação e fortalecimento de um nome, até então desconhecido, aconteça de forma muito mais morosa e portanto resultados comerciais e financeiros mais a longo prazo.

Desde a aquisição da Unidade Pacaembu, minha intenção sempre foi dedicação exclusiva. Porém no ano de 2020 nos deparamos com uma pandemia nunca antes imaginada. Neste momento, senti a necessidade de por tempo determinado atuar na linha de frente no combate ao COVID.

Retornei ao hospital que sempre atuei como enfermeira e por 6 meses me dividi entre a gestão da unidade Home Angels e o atendimento aos pacientes com COVID. Neste período compartilhei a gestão com minha sócia e nossa supervisora, que foram fundamentais para mantermos a qualidade dos nossos atendimentos.

Após esse período, a dedicação passou a ser exclusiva novamente, principalmente no atual momento em que adquirimos mais uma unidade da Home Angels. Hoje após 1 ano de 5 meses de aquisição da nossa primeira franquia já estamos com duas operações. Meu principal objetivo é continuar a empreender no mercado de saúde com foco em inovação e novos negócios, além de consolidar as nossas duas unidades Home Angels. Minha rotina diária é o contato com novos clientes, avaliar novas parcerias para o negócio, manter um relacionamento com os clientes atuais e acompanhar o desempenho dos nossos cuidadores através da nossa supervisora.

Busquei uma franquia que fizesse sentido com meu propósito de vida. Cuidar de pessoas sempre foi minha vocação. Neste momento avaliei diferentes marcas no mercado e optei pela Home Angels.

Para um profissional de saúde com formação técnica e assistencialista, a aquisição de uma franquia traz inúmeros desafios, pois áreas até então pouco conhecidas como marketing, vendas, negociação, financeiro, jurídico terão um foco importante para o desenvolvimento do negócio. Por isso, o treinamento inicial e o acompanhamento contínuo da franqueadora é tão importante para o crescimento do negócio.

Outra vantagem é a de se trabalhar em rede, diariamente nos comunicamos com outros franqueados onde dúvidas, sugestões, e experiências são compartilhados.

A aquisição de uma franquia é uma decisão importante para quem inicia a aventura de empreender no Brasil e fazer uma transição de carreira, como foi meu caso. Sem dúvida, iniciar um negócio do zero sem o suporte de uma franqueadora e seus parceiros se torna muito mais difícil e desafiador.”

Para saber mais sobre a franquia Home Angels clique aqui.

 

Leandro Delelis da Cruz, 45 anos, é enfermeiro e investiu na rede de franquias de residenciais sênior Terça da Serra

 “Tenho duas unidades. Adquiri em 2017 unidade Castelo e em 2019 unidade Nova Campinas, ambas estão localizadas na cidade de Campinas. 

Conheci o projeto, fiquei apaixonado assim como é a paixão dos idealizadores. 

Divido meu horário diurno nas unidades e a noite realizo plantões em outra instituição. 

Investi em uma franquia da área da saúde e só vejo vantagens. Poder participar no processo e na implementação de protocolos, a troca de ideias entre os franqueados que contribui para construção de operação de qualidade e lucrativa são alguns exemplos.”

 Para saber mais sobre a franquia Terça da Serra, clique aqui.

 

Natine Fuzihara Rosa tem 33 anos e é médica de saúde da família. Abriu sua unidade da Dr Shape no Itaim Bibi em dezembro de 2019

“Conheci a Dr Shape na ABF Franchising Expo de 2019. Eu queria algo que conversasse com as coisas que eu gosto, com o que eu consumo. Não tinha ideia fixa. Passei em alguns estandes de marcas que eu consumo e por último passei na Dr Shape. Eu não consumia tanto suplemento na época, mas meu marido sempre consumiu. Fora que é uma área que conversa com a érea da saúde, então me interessei bastante e me identifiquei.

Eu não ia ter tempo e conhecimento para abrir algo meu, sem nenhuma estrutura. A franquia já te passa todo o now know e sempre tem ajuda! Queria algo que tivesse todo o molde. A Dr. Shape ajuda muito nesse quesito, eles ajudam muito e sempre estão dispostos”.

Nos dias em que eu estou de plantão não tem como fazer nada da loja. Agora que eu tenho gerente na loja fica até um pouco mais fácil, pois conto com ela. Nos outros dias que eu não estou de plantão, eu estou na loja. Cuido da parte financeira, atendo cliente. Tudo que precisar!

Não tem desvantagens! Existem diversas vantagens, como o know know. Os franqueadores sabem do que estão falando e te ajudando sempre. A Dr Shape, por exemplo, escolhe as melhores marcas para trabalhar, eu não preciso ficar estudando fornecedores, origem dos produtos. Para mim é muito vantajoso. Confio muito neles!”

Para saber mais sobre a franquia Dr. Shape, clique aqui.

 

Grasiella Paizante, 43 anos, franqueada da Calçados Bibi desde julho de 2013, formada em Fisioterapia e docente na Universidade de medicina e fisioterapeuta 

“Investi numa franquia por ser um modelo pronto/estruturado e pela possibilidade de ter uma renda paralela a minha profissão. A opção pela franquia é justamente por ser uma área muito diferente da minha área de formação e a chance de sucesso no empreendimento ser maior por ter um direcionamento.

Faço o serviço administrativo da loja em domicílio acompanhando os indicadores via sistema. Diariamente tenho contato com a minha gerente por ligação e WhatsApp. Uma vez por semana vou presencialmente na loja para ter um feedback com a gerente e vendedoras.

A maior vantagem é: a franquia tem um modelo pronto estruturado com treinamento e todo o passo a passo do que deve ser feito, além de todos os fornecedores. Como desvantagem: Como ainda atuante na área acadêmica, tenho que dividir o tempo entre a franquia e a docência.”

Para saber mais sobre a franquia Calçados Bibi, clique aqui.

 

Camilo Artur Camargo, 40 anos, formado em Fisioterapia e franqueado da Água Doce Sabores do Brasil há noves anos 

“Minha busca por franquia se deu ter o desejo de ter um negócio que fosse rentável e com um formato e nome consolidados no mercado.

Consegui conciliar os dois primeiros anos de franqueado com a profissão, depois disso, me dediquei completamente ao negócio, pois a rotina da franquia consome sua atenção todos os dias. No meu ponto de vista, é necessária a exclusividade para o sucesso no negócio.

Acredito que não faça diferença ser ou não da área da saúde. O importante é ter dedicação ao empreendimento, estudar e entender o seu negócio. É necessário conhecer a operação do início ao fim.”

Para saber mais sobre a franquia Água Doce Sabores do Brasil, clique aqui.

 

Renata de Setti alves, 43 anos, é dentista e franqueada da Oral Unic

“Investi na Sorridents em dezembro de 2009 e em março de 2018 abri minha segunda unidade. Em novembro de 2018 vendi minhas duas clínicas (a segunda repassei a dívida que havia adquirido para montar essa segunda unidade) e comprei a da Oral Unic.

Investi em franquia porque eu queria crescer profissionalmente e atender como dentista. Me via limitada a chegar onde eu queria, além disso, não queria que meu crescimento dependesse só de mim. Eu não podia tirar férias com tranquilidade, pois o trabalho dependia exclusivamente da minha mão de obra, e com a franquia não.

Optei em sair do mocho para expandir com foco e qualidade. Desde quando resolvi assumir a franquia, não atendi mais. Fiquei na gestão e eventualmente fazia avaliações e planejamentos. Na Oral Unic sou diretora clínica e avaliadora e faço o controle de qualidade dos tratamentos e toda a equipe técnica.”

Para saber mais sobre a franquia Oral Unic, clique aqui.

 

Daiani Cariello Dias, 38 anos, é enfermeira e franqueada da Minds Idiomas

“Eu sempre gostei muito de cuidar de pessoas. Fiquei muito na dúvida entre enfermagem, pedagogia e letras. Mas, acabei optando pela enfermagem. Durante um tempo foi a área que escolhi, porém ainda faltava alguma coisa e a educação foi um caminho natural. Quando pude ser franqueada da Minds, a enfermagem só acrescentou!

Na saúde o cuidado tem que ser atencioso e dedicado, há muitos momentos de celebrações, mas há a outra parte, da perda, de uma doença levar aquele paciente. Na educação, consigo trabalhar com os alunos e funcionários, ver seu desenvolvimento, e celebrar as conquistas.

As dificuldades podem ser trabalhadas com a ajuda da equipe. Durante muitos anos conciliei as duas profissões, mas, a escola começou a desenvolver um papel mais intenso em minha vida. Porém nunca deixei de levar meus aprendizados da área da saúde para a Minds”.

Para saber mais sobre a franquia Minds, clique aqui.


Ana Paula Fré de Bem, 29 anos, é dentista e franqueada da OdontoCompany

 Decidi partir pra franquia porque trabalhava em uma franquia odontológica, concorrente, e resolvi pesquisar mais sobre esse tipo de negócio e acabei gostando muito da forma de trabalho da Odontocompany. 

Hoje eu tenho a franquia de Boituva e Iperó, são cidades muito próximas, onde passo a maior parte da semana. Atualmente tenho agenda fixa em avaliação, 3 períodos por semana, e o restante do tempo fico na parte de gestão e administração. Tenho 2 clínicas em Tatuí (um casal de sócios toca as unidades) e uma unidade em Porto Feliz (com uma sócia que toma conta da unidade também). 

A maior vantagem é o fato que o dentista não tem conhecimento de gestão ou administração  na faculdade e com a franquia somos obrigados a estudar para adquirir esse conhecimento. É muito mais fácil ter um ‘norte’ do que abrir um consultório sem bandeira. A maior desvantagem é que a maioria dos dentistas tem um lado sentimental, ‘humano’, e pode muitas vezes se deixar levar pela emoção e não pela venda. 

Com certeza sou extremamente realizada com o meu dia a dia, com as conquistas que tive ao longo desses 4 anos e faria tudo de novo. Eu amo empreender!”

Para saber mais sobre a franquia OdontoCompany, clique aqui.

 

Juliana Calegher, 24 anos, é esteticista e franqueada da Maria Brasileira

“Abri a unidade em janeiro/21, da franquia Maria Brasileira, maior rede de serviços e cuidados residenciais e corporativos, na cidade de Campo Mourão, no Paraná.

Meu marido é mais visionário para negócios, então a ideia de investir na Maria Brasileira partiu dele, porém, como ele tem outra atividade na qual não conseguiria se dedicar no dia a dia da franquia, eu abracei a causa!

O mundo do franchising sempre nos encantou, acredito que principalmente pelo marketing que as franquias realizam e a visibilidade que elas têm. Tínhamos uma visão de investir em franquia porque teríamos todo o suporte para fazer acontecer, e realmente, com a Maria Brasileira temos isso é muito mais. Claro, temos que fazer nosso papel de empreendedor e dono do próprio negócio, mas o suporte da franqueadora é fundamental para nosso sucesso.

Meus atendimentos são realizados com horários agendados, então quando não estou na clínica, como esteticista, estou na gestão da Maria Brasileira. Contamos com uma atendente, que é nosso braço direito, então me responsabilizo pela parte mais burocrática e ‘offline’ da empresa.

A vantagem de ter suporte, apoio e assistência da equipe da franqueadora e também de outros franqueados facilita muito na operação da unidade. Trocamos ideias, dicas, somos como uma família, o que dá super certo para quem tem outra atividade, como eu. Não vejo como desvantagem, mas sim um desafio de me dividir. Com planejamento tudo acontece!

Além disso, especialmente depois da pandemia, a limpeza foi considerada um serviço essencial por contribuir com a boa saúde das pessoas. Então, de certa maneira, está em sinergia com a minha profissão como esteticista, ambas preocupadas com o bem-estar das pessoas.”

Para saber mais sobre a franquia Maria Brasileira, clique aqui.

 

Eduardo Leonel Ferreira, 28 anos, é médico e franqueado da N1 Chicken (Mato Grosso do Sul)

“Sempre gostei do empreendedorismo. Apesar de ser formado em medicina, sempre sonhei com meu próprio negócio, e também porque a carreira na medicina é muito cansativa e corrida, investir em uma franquia foi uma forma de desapegar um pouco da minha profissão.

Na verdade, há 3 ou 4 meses eu larguei a medicina e estou tocando o negócio. Sou responsável pela gestão e parte estratégica de crescimento. Trabalho em home office e consigo conciliar minha família com a empresa, faço o marketing e gestão da unidade. Já estou com planejamento para adquirir mais uma unidade da marca.

A Principal vantagem é que você tem todo o know-how testado e aprovado por outras pessoas. As desvantagens é que algumas situações nós não podemos colocar um toque pessoal na franquia pois precisamos seguir as normas da franqueadora.

Apesar de amar a medicina, eu nasci para empreender e me sinto mais realizado hoje.”

Para saber mais sobre a franquia N1 Chicken, clique aqui.

 

Raquel Montani, 44 anos, nutricionista e franqueada da Megamatte

 “Fiz o curso Empretec do SEBRAE e vi que se quisesse abrir um negócio próprio, a franquia oferecia vantagem pela marca de qualidade e já consolidada. 

No momento só estou trabalhando na franquia, mas como sou Nutricionista acaba sendo um trabalho conjunto. Uma vez que, todo local que vende comida deveria ter um profissional nutricionista. 

Hoje passo o dia na loja, fazendo  a parte administrativa, com pedidos, pagamentos, RH; a parte operacional, atendendo o público e ajudando os funcionários, além da parte de nutrição, que numa lanchonete, está direcionada à qualidade dos produtos, principalmente o controle higiênico/sanitário. Também me responsabilizo pela qualidade sensorial dos alimentos que servimos. 

Na minha área, a Nutrição, a vantagem é saber e manter tudo que a Vigilância Sanitária exige, além de prezar por oferecer produtos de qualidade. A desvantagem seria possuir menor know how de vendas, porque normalmente o foco do profissional de Nutrição é a qualidade do produto servido e não a venda. Mas mesmo isso se aprende, ou se aprimora.

Quando se trabalha em UAN (unidade alimentação e nutrição), é necessário ser bom administrador para fazer planejamentos, pedidos, evitar desperdícios, e manter o negócio funcionando da melhor forma.” 

Para saber mais sobre a franquia Megamatte, clique aqui.

 

Vanessa Almeida, 31 anos, enfermeira e franqueada da Evolute desde 2019

 “Eu já trabalhava na minha área de formação há cinco anos e decidi que se eu queria realmente ganhar dinheiro e mudar de vida teria que investir num negócio próprio, e a franquia por ter uma fórmula já pronta era a melhor opção para mim que vim de uma área totalmente diferente. 

No início, conciliei minha profissão com a franquia. Depois vi que o meu foco tinha que ser a franquia que seria o que me daria crescimento financeiro. Hoje meu dia a dia é focado nas minhas unidades, hoje possuo 3 unidades então gerencio e treino equipe e faço gestão deles. 

O profissional da saúde só vai conseguir ganhar o quanto os braços dele aguentar. Não digo só a enfermagem, pois tenho amigos médicos que ganham somente o que conseguem fazer de plantões  ou atendimentos. Já na franquia você consegue criar escala de crescimento. Como foi no meu caso. 

O que posso dizer, é que eu e qualquer pessoa que queira empreender e é de área totalmente diferente, como foi meu caso, opte por uma franquia, pois é muito mais fácil quando já se tem uma receita de como fazer dar certo.”

Para saber mais sobre a franquia Evolute, clique aqui.

 

Mateus Pereira da Silva, 37 anos, é formado em farmácia e franqueado do Instituto Gourmet Jabaquara e Campo Limpo.

 “Decidi investir em uma franquia por ter o formato já testado e pelo suporte que a rede oferece. 

Atualmente não trabalho mais na área da saúde, mas em uma franquia com a estrutura do Instituto Gourmet eu conseguiria conciliar os dois trabalhos facilmente. 

Trabalho totalmente focado em pessoas desenvolvendo a equipe da melhor forma possível para que os resultados venham deles sem que eu precise estar presente na operação. 

Em uma franquia com administração séria, como o Instituto Gourmet, além de me permitir ter mais tempo caso quisesse trabalhar na área da saúde, também pula muitas etapas pelo conhecimento adquirido pelos fundadores. Portanto, o erro e o risco são menores.”

Para saber mais sobre a franquia Instituto Gourmet, clique aqui.

 

Fernando Pereira de Sá, 55 anos, é médico e franqueado da CleanNew desde junho/2018 

“A decisão de investir em uma franquia vem, na verdade, como um entendimento pessoal e um planejamento profissional que é melhor não depositar todos os meus ovos na mesma cesta, ou seja, não me dedicar apenas ao plantão médico, que no meu caso trabalho em UTI, e receber apenas por horas de trabalho.

Se me acontece alguma coisa, por exemplo, e eu não posso trabalhar por 3 meses, eu fico 3 meses sem receber nada. Eu queria ter uma alternativa e de preferência que não fosse só ligado a área de saúde e sim algo que me desse novos horizontes.

Vim me capacitando para ter negócios durante vários anos e, num determinado momento, em torno de 2016, eu e minha esposa chegamos a conclusão que o modelo de franquia teria a grande vantagem de encurtar caminhos, uma vez que tendo um modelo bem sucedido, a gente poderia implementar de uma forma mais eficaz, já que, principalmente no início, eu teria que dividir o tempo entre as duas funções. 

Uma das grandes vantagens da minha área é que eu trabalho na forma de plantão, então, eu consigo planejar minha agenda de maneira que eu disponha de um horário livre. Por 10 anos eu dei aula numa faculdade que me deixava mais amarrado, mas a entrada para o ramo da franquia veio junto com a intenção de deixar de dar as aulas.

Eu reduzi minha carga de plantões, saí da faculdade e da administração do hospital onde eu também atuava para poder me dedicar cada vez mais ao negócio. Durante dois anos, eu e minha esposa pesquisamos franquias em campos e áreas diferentes, até que a gente conheceu a CleanNew que, embora parecia algo muito novo, estava em rápido crescimento e a gente não queria perder a oportunidade de embarcar na história logo no início. 

O segredo para conciliar as duas coisas, ao meu ver, veio do modelo que a franqueadora proporciona, já que eu não tenho a necessidade de uma estrutura física, ou seja, de dentro de casa posso gerenciar o negócio. E, mais, eu tenho o fator da mobilidade: eu estou com o telefone no bolso, a empresa está comigo onde quer que eu esteja. Um terceiro ponto que acho que vale destacar é que já estou habituado a trabalhar muito mais horas do que as pessoas ao meu redor trabalhavam.

Enquanto as pessoas trabalhavam entre 40 a 44 horas semanais, a minha média de trabalho sempre foi em torno de 60 a 80 horas semanais. Então, para mim, adquirir a franquia foi algo natural: eu saio do hospital e continuo fazendo tudo o que precisa fazer para a empresa. Se tenho uma hora livre no almoço, posso visitar um cliente ou um parceiro; no final de semana, quando saio para passear, posso aproveitar e fazer  contato com algum parceiro lojista. Então, a gente usa todo o horário que tem para investir no negócio. 

A vantagem é já estar em um modelo de negócio que já funciona, sem ter que criar um novo modelo e fazer a experimentação para saber se vai dar certo. Agora, sendo profissional de saúde, as vantagens que eu vejo são:

1º) a flexibilidade de horário que eu tenho e a capacidade de poder decidir quando trocar um dia de trabalho para ter um horário livre durante a semana; por exemplo, eu poder trabalhar em plantão noturno ou no fim de semana e poder folgar do hospital em um dia e horário útil. Essa flexibilidade me dá uma possibilidade de investir meu tempo na empresa.

2º) Especificamente nesse ramo da CleanNew, de higienização e blindagem, o cliente já entende o objetivo do serviço por conhecê-lo através de redes sociais, mas, quando eu, profissional da saúde, falo sobre o aspecto de prevenção e de melhoria de qualidade de vida, estar nesse meu universo médico agrega um valor ao serviço que eu estou oferecendo.

3º) A profissão me ensinou e desenvolveu a habilidade de conversar e me sentir à vontade com qualquer pessoa, seja qual ramo for; então, pelo menos para mim, eu tenho facilidade de negociar com um cliente de alto padrão, um profissional para ser meu parceiro ou alguém para compor minha equipe; com todos há uma fluidez na conversa que favorece o meu negócio.”

Para saber mais sobre a franquia CleanNew, clique aqui.

 

Cleivanir Niehues, 50 anos, é cirurgiã-dentista e decidiu investir há seis anos na RedeOrto 

Decidi investir, pois me ofereceram uma sociedade em uma clínica franqueada. Pesquisei as vantagens, achei vantajoso, pois eu tinha meu consultório próprio, não sabia por onde começar a montar uma clínica maior. Não sabia administrar,  pois não somos preparados na Faculdade para isso. Mas inicialmente o que me levou a considerar investir foi realmente aprender a administrar e o negócio não depender apenas do meu trabalho como dentista.

Hoje dedico o meu tempo na administração da clínica. Faço muito da parte administrativa de forma online, pois sou mãe e dona de casa também. Consigo assim, ter o controle de forma remota. Tenho tempo agora de planejar, treinar equipe, medir resultados.

As vantagens são: temos suporte administrativo, temos um programa odontológico, temos consultor que nos ajuda ter uma visão do negócio e nos ajuda a juntar o rumo, temos vários processos já testados e implantados.

Desvantagens: a identidade visual é obrigatória (e, às vezes, não bate com o gosto pessoal do sócio), os royalties sobre faturamento bruto se tornam muito altos; contratos de franquias muito longos e cláusulas muito rígidas.”

Para saber mais sobre a franquia RedeOrto, clique aqui.

 

Marcelo Di Muzio, 49 anos, é cirurgião dentista e franqueado do Açaí da Barra desde novembro de 2017

 “Decidi investir em uma franquia porque já tinha boas indicações do Açaí da Barra e sabia que era uma marca que tinha muito a crescer. Eles têm um produto de extrema qualidade e um know how no modelo de negócio e como franqueado excelente. 

Eu sou cirurgião dentista e, depois de algum tempo, deixei de clinicar para me dedicar exclusivamente a minha loja do Açaí da Barra em Sorocaba. 

Como um profissional da saúde, busquei na franquia o know how e apoio que precisava para abrir meu negócio próprio. Como empreendedor, aumentei meu rendimento e pude ganhar escala financeira. Você pode investir em mais de uma unidade da mesma franquia, por exemplo, atingindo marcos financeiros inimagináveis como profissional liberal. 

Busque uma franquia que te apoie em todos os sentidos. No Açaí da Barra encontrei isso. Além de ser um franquia super rentável e vantajosa, nos dá todo o suporte pré e pós inauguração, as lojas têm um design super moderno e os açaís, feitos na fábrica própria da marca, são de altíssima qualidade!”

Para saber mais sobre a franquia Açaí da Barra, clique aqui.

 

Rebecca Leite, 29 anos, é psicóloga e Marcelo Caliman, 31 anos, é médico. O casal é franqueado da Bio Mundo 

Nós sempre tivemos vontade de ter um investimento secundário, porém por conta da nossa rotina e por não ter tanto conhecimento na área do comércio, optamos por uma franquia por conta do suporte que é dado. 

Continuamos com os nossos atendimentos e plantões, porém tentamos dividir nosso dia para sempre estarmos presentes na loja pelo menos um período. 

A vantagem de ter uma franquia é todo o suporte que a rede nos deu e continua dando, tanto na parte inicial, que foi da avaliação de mercado e viabilidade, implantação e todo know how que a franquia trás. Se tiver alguma desvantagem, poderia citar o custo extra em comparação com outros modelos de negócio, por ser uma franquia.

Por ser uma experiência nova, tivemos algumas dificuldades no início, porém com toda ajuda e cuidado da franqueadora, se tornou algo gratificante e prazeroso.”

Para saber mais sobre a franquia BioMundo, clique aqui.

 

Débora Mazoroski, 26 anos, é fisioterapeuta e franqueada da Cuidare – Cuidadores de Pessoas 

“Eu já atuava como fisioterapeuta domiciliar, principalmente na área da Geriatria. Durante meus atendimentos na área de Fisioterapia Geriátrica, vi a necessidade de profissionais mais qualificados cuidarem de meus pacientes idosos ou que estavam temporariamente incapacitados.

Notava que as famílias sempre pediam indicações de conhecidos, e os cuidadores vinham despreparados ou então deixavam a família na mão em cima da hora, modificando toda a rotina dos familiares, que muitas vezes não podiam deixar o idoso desassistido. Notei também que as famílias que não possuíam cuidadores, e se revezavam para realizar os cuidados básicos, estavam sempre exaustas e geralmente existiam os atritos entre eles.

Com os cuidados realizados pelos profissionais, as famílias têm a tranquilidade que o assistido terá auxílio a todo tempo necessário.

Além disso, o trabalho do cuidador é muito importante junto a minha profissão, pois quando vou embora da residência do assistido, ele acaba ficando sem estímulo e só retorna as atividades no próximo dia da fisioterapia ou em outras terapias. Com o cuidador tenho a certeza de que ele continuará ativo, algo muito importante para a continuidade do tratamento.

Consigo conciliar a minha carreira de fisioterapeuta com a gestão da franquia graças ao auxílio do meu sócio, dividindo os plantões. Durante os intervalos entre os pacientes, encaixo as visitas domiciliares, e nos dias que não atuo como fisioterapeuta, realizo entrevistas de emprego e demais atividades necessárias para a franquia continuar fluindo.

Acredito que só tenha vantagens, pois ao investir em uma franquia da mesma área que a minha, somaram-se os aprendizados que a franquia me passou com a graduação que escolhi para minha vida. Tento sempre levar os meus conhecimentos para a promoção da saúde e tentar auxiliar os meus assistidos com todas as informações que posso.

A equipe da franqueadora tem dado toda a assistência e auxílio necessários para a empresa, desde dicas sobre escolha do melhor tipo de papel para os nossos materiais, como contrato com funcionários e familiares. Sempre no intuito de oferecer o melhor serviço para quem confia no nosso trabalho.

Gostaria de acrescentar que estou feliz ao realizar a gestão da franquia, não só pelo retorno que me dá, mas pela certeza que consigo levar os cuidados ao domicílio, auxiliar famílias a melhorar os cuidados dos idosos, auxiliar pessoas que tenham sofrido algum acidente ou cirurgia e contam com a gente para uma melhor recuperação e acalentar mães de primeira viagem ou de múltiplos, pois sabemos que não são todas as mulheres que podem contar com o auxílio de pessoas da família, e por isso necessitam de um cuidado mais especializado.”

Para saber mais sobre a franquia Cuidare, clique aqui.

 

Felipe Alexandre Rodrigues, 36 anos, é cirurgião dentista e multifranqueado Oral Sin

“Tinha um consultório odontológico em minha cidade e encontrava muita dificuldades em fazer o consultório crescer e se tornar um grande case. Daí que surgiu a ideia de buscar o conhecimento e know how de uma franquia e o sucesso foi tamanho que em 5 anos estou a caminho da minha 38 unidade.

Hoje com o volume de franquias que abrimos e com todas as oportunidades que ainda enxergamos no mercado tive que aos poucos ir deixando minha profissão de Cirurgião para focar na criação e gestão do Grupo GPF de franquias e alta performance para melhorar e gerir os resultados e operação de minhas franquias.

Então hoje sou um empreendedor e busco oportunidades de negócios rentáveis e sócios investidores para entrar nos meus projetos junto comigo.

São inúmeras as vantagens de ser um franqueado, uma vez que recebemos todos os manuais de know how e check list do que fazer e o quão lucrativo posso ter um negócio.”

Para saber mais sobre a franquia Oral Sin, clique aqui.

 

Bruno Mendes Nascimento, 42 anos, é fisioterapeuta e franqueado da YES! Idiomas

 “Sempre tive o sonho de empreender e através dos meus estudos e análise do mercado, decidi por uma franquia por ser um investimento mais sólido, onde se pode aproveitar o know-how de uma marca consolidada e todos os benefícios de fazer parte de uma grande rede. 

Abrimos a segunda escola e me dedico totalmente ao negócio. Mas até o final de 2019, eu trabalhava 40h na gestão de saúde do município do Rio de Janeiro e, na minha folga, me dedicava ao negócio. Era um desafio muito grande, mas Deus abençoou e conseguimos superar este momento. Em 2019 decidimos abrir a segunda unidade e eu precisei largar o emprego na saúde. 

A grande vantagem é que na saúde você aprende a trabalhar em rede, ser cooperativo, ter empatia e saber seguir padrões pré-estabelecidos.

Como desvantagem, em primeiro vem a sobrecarga, pois o trabalho na área da saúde promove muito desgaste tanto físico quanto mental e o negócio da mesma forma.

Gostaria de dizer que me sinto realizado por essa trajetória que estou traçando, feliz pelos progressos que fiz dentro do negócio e saudoso dos amigos da saúde. Também quero deixar uma mensagem para as pessoas, principalmente os mais novos, de que podemos ser aquilo que quisermos, basta fazer o exercício dos três  ‘F’s: Força, Foco e Fé.”

Para saber mais sobre a franquia Yes! Idiomas, clique aqui.

 

Luciana Pupin de Oliveira, 45 anos, é graduada em Direito e Odontologia e franqueada da OrthoDontic

“As características que tenho, são de uma empreendedora. Não fazia sentido eu trabalhar para outras pessoas sabendo que na OrthoDontic minhas qualidades iriam se ressaltar muito mais.

Na minha clínica, você enxerga  muito esforço, dedicação e carinho.” Luciana conta que para ter um negócio, exige muita responsabilidade e muita noção de gestão em relação a tudo que acontece, porém ter a franqueadora do lado como suporte, é um alívio. Nas desvantagens, ressalta a vontade de implantar mais serviços dentro da clínica e aguardar a partida da franqueadora para a introdução desses novos serviços.”

Para saber mais sobre a franquia OrthoDontic, clique aqui.

 

João Marcos de Moraes, 24 anos e cirurgião-dentista, e Ana Karen Marques, 24 anos e cirurgiã-dentista, são franqueados na Mais Top Estética

“Investimos em uma franquia pela vontade de fazer diferente, sair da zona de conforto, querer crescer pessoal e profissionalmente, gerar empregos e realizar sonhos. Nós conversávamos muito sobre empreender, sobre mudar vidas, ter mais estabilidade e nunca ficarmos parado.

Somos cirurgiões dentistas e já estamos indo para nosso segundo negócio. Primeiro o que mais nos chamou atenção na Mais Top foi a oportunidade em continuar mudando vidas, em uma área paralela a nossa e saber que poderíamos crescer junto com a empresa.

Além disso a empresa é muito forte e só vem crescendo, saber que é a maior do Brasil e da América Latina, nos deixava com os olhos brilhando, sabíamos que teríamos apoio, suporte e segurança.

Conciliamos nossa empresa com nossa profissão na área da saúde e é um desafio imenso, ainda mais visto estarmos em duas cidades diferentes, porém fazemos com amor, gostamos muito da nossa área de origem que é a odontologia e decidimos investir em algo novo que está crescendo de forma exponencial que é a estética e a Mais Top Estética está acompanhando esse crescimento.

Nós basicamente não temos tempo para quase nada, nesse começo precisamos estar presente 100% em ambas toda semana de uma forma ou de outra, para termos os resultados esperados.

Uma das vantagens é justamente estar na nossa área, ter zelo e maior cuidado com os pacientes, a exigência em procedimentos bons e seguros, e entender não só da parte de números mas do bem estar, saúde, e autoestima dos pacientes. As desvantagens, podemos tratar como dificuldades, que são lidar com números e principalmente de concretizar vendas, somos ‘treinados’ a resolver problemas e na franquia precisamos entender um problema que a pessoa sente ou tenha sentido e aí sim sanar isso.”

Para saber mais sobre a franquia Mais Top Estética, clique aqui.

 

Larissa Arantes, 43 anos é formada em odontologia e franqueada Vale Safe EPIs

“Em Setembro de 2021 faremos 2 anos de loja. Optamos por investir em uma franquia pelo Know how que nos é dado e pela segurança passada pelo franqueador.

Há algum tempo já não exerço a profissão na área da saúde, a odontologia, me dedico somente a nossa franquia.

Houve uma adaptação entre atuar em segmentos diferentes, porém ambos exigem dedicação, planejamento e controle.

As vantagens da franquia são relacionadas a aquisição de know how e auxílio operacional por parte dos franqueadores.

As desvantagens são mais em relação a adaptação às normas e condições das franquias que, na área de saúde eu não tinha, trabalhava de forma totalmente independente.

Estamos muito satisfeitos com a franquia e atuar na área da saúde, como dentista, deixou de ser atrativo para mim, por diversos fatores, mas sobretudo pela grande oferta de profissionais no mercado e ‘canibalização’ dos preços praticados.”

Para saber mais sobre a franquia Vale Safe, clique aqui.

 

Eliezer de Mello Silva, 37 anos, é farmacêutico e franqueado DrogaVET, unidade de Vitória/ES. 

“Investi em uma franquia porque os princípios adotados de ética, zelo e rigor técnico que a franqueadora se propõe a fazer convergem com os meus. Outro ponto foi pela probabilidade do modelo de negócio em franquia já possuir processos, fluxos e diretrizes consolidadas e esse pontos, para um novo empreendedor, independente da área de formação, são vitais. Além disso, esse background otimiza o tempo na estruturação do negócio e oferece menor risco quanto a eventuais prejuízos. Ou seja, com uma franquia não precisamos reinventar a roda, pois ela já foi inventada, implementada e já está rodando.

Um dos motivos de ter escolhido a DrogaVET foi que ela me proporcionou fazer o diferencial: prestar um serviço relevante e de qualidade enquanto farmacêutico e, ao mesmo tempo, gerir meu próprio negócio.

Meu dia a dia é sempre um desbravar, pois há algo novo todos os dias. Divido minha agenda entre momentos que são puramente como administrador e gestor da minha unidade, fazendo o controle do caixa, do estoque de embalagens e das matérias-primas, por exemplo, com os momentos em que atuo como um profissional de saúde, da área farmacêutica.

Com isso, me sinto sempre motivado a fazer melhor do que no dia anterior, pois há sempre algo novo a aprender: um caso clínico diferente enviado pelos veterinários parceiros, na qual solicitam sugestões e alternativas de fórmulas terapêuticas para viabilizar os tratamentos dos seus pacientes etc.

Acho tudo isso sensacional, o que me impulsiona a fazer sempre melhor e com a maior excelência possível. Buscando ver os tutores e seus Pets cada vez mais felizes.

Acredito que por já ter um modelo de negócio pronto a ser seguido e com outros franqueados com quem se pode compartilhar as dificuldades e as possibilidades de minimizar gastos, custos etc são algumas das vantagens. Importante frisar também o poder de compra conjunto que a rede tem ao adquirir materiais de consumo.

Por outro lado, a desvantagem está relacionada à padronização, pois nem sempre o tratamento é diferenciado como um franqueado gostaria que fosse, estando os processos já determinados e formatados para todas unidades do país. Porém, isso é absolutamente compreensível em razão da necessidade da franqueadora de manter tudo uniforme para o consumidor final.

Sinto-me superfeliz por ter optado pelo modelo de negócio em franquia. Sem dúvida ele encurtou muito o caminho na hora que decidi empreender, implementando, com sucesso, minha empresa exatamente da forma que sempre quis.

Enfim, sinto-me privilegiado por Deus, pois mesmo em meio a um período pandêmico estou em constante ritmo de crescimento, enquanto muitos empresários têm fechado suas portas e demitido seus funcionários devido aos prejuízos, temos obtido êxito e sucesso. Agradeço a oportunidade de participar e compartilhar minha experiência.”

Para saber mais sobre a franquia DrogaVet, clique aqui.

 

Andréa Negreiros, 47 anos, é Cirurgiã-Dentista e investiu em 2012 na franquia Supera – Ginástica para o Cérebro

“Investi em uma franquia com o propósito de aumentar o capital financeiro, ter outras oportunidades na área do conhecimento, oportunidade de crescimento pessoal e profissional.

Conciliei as duas carreiras por 6 anos, adoro a minha profissão, sendo que me encontrei no mundo do empreendedorismo que é repleto de oportunidades e para prosperar é necessário dedicação e conhecimento, logo decidi investir no mundo empreendedor.

A vantagem é ter oportunidade de ter uma visão ampla de mercado, é como se abrisse uma cortina que existe em nossa frente, para um contexto mais amplo. Como a franquia que investi também é referente a bem-estar, prevenção, potencialização cognitiva, aprendizado, me vejo sempre com um pé dentro da saúde. Ser da área de saúde me fez ter mais facilidade em entender muitos contextos técnicos da metodologia da qual trabalhamos.

Quanto às desvantagens, não estar cuidando de perto dos meus pacientes e familiares, saudades quando um colega me procura para trocar conhecimento, fazer um planejamento para saúde bucal. Mas pode ter certeza que tudo passa rapidamente quando vejo o mundo de possibilidades que temos ao nosso redor.

Tenho muito a aprender e a construir, e quando escolhemos uma franquia temos uma rede de apoio que faz toda diferença para o desempenho do empreendedor.”

Para saber mais sobre a franquia SUPERA – Ginástica para o Cérebro, clique aqui.

 

Michele da Silva Carvalho Rocha, 45 anos, é cirurgiã dentista e adquiriu a franquia Pello Menos em abril de 2004

 Eu era cliente do Pello Menos e me encantei com o atendimento, a qualidade e o padrão. Nunca tinha pensado em abrir uma franquia, mas essa experiência me despertou o interesse em investir no negócio, uma empresa sólida que já possuía expertise e poderia me dar o suporte que eu precisava para iniciar no ramo empresarial. 

Fiz essa conciliação por 3 anos, mas a franquia começou a crescer e cada vez exigia mais a minha presença em loja, além do retorno financeiro ser melhor do que o que eu tinha na odontologia. Amava minha profissão e os meus pacientes, mas chegou uma hora que tive que optar e não me arrependo. Hoje me dedico 100% ao negócio Pello Menos. 

Vantagens: quando se investe na franquia, você recebe um negócio pronto e formatado, já com os riscos calculados. No meu caso, que escolhi a franquia certa, tenho todo o suporte da franqueadora, desde treinamento, diretoria acessível, consultoria atuante.

Quando trabalhava como cirurgiã dentista, o meu consultório dependia única e exclusivamente de mim e, no caso de doença ou de férias, eu não produzia e não tinha receita. Atualmente eu tenho uma liberdade maior, sou atuante no negócio, mas independente de eu estar ou não presencialmente na empresa,  a mesma continua funcionando e gerando receita. 

Desvantagem: como profissional liberal tive que me acostumar a seguir as regras e padrões pré estabelecidos e que com o tempo entendi que o sucesso da franquia está diretamente ligado à padronização.”

Para saber mais sobre a franquia Pello Menos, clique aqui.

 

Adriana Helena de Almeida, 49 anos, é médica veterinária e franqueada Clinicão Veterinária, unidade Lapa – SP

 “Acredito que ao investir em uma franquia, tanto o nome quanto a natureza da atividade envolvida, já estão consolidados no mercado, fazendo com que a energia gasta para fazer o negócio ser bem-sucedido seja muito menor.

Além disso, o investimento na franquia inclui assessoria técnica, muito necessária ao bom andamento da atividade desenvolvida. Neste aspecto, agrega benefício a ambos, tanto ao franqueado quanto à franqueadora, pois garante a continuidade das boas práticas envolvidas, a qualidade do serviço prestado e, consequentemente, da imagem e da credibilidade da marca já inserida no mercado. 

Sim, concilio bem a carreira na saúde com a franquia. No cotidiano, é possível estar presente fisicamente na unidade franqueada e ainda assim desempenhar outras atividades relacionadas à carreira acadêmica e técnica. 

Ao meu ver, só vejo vantagens. No meu caso, agrega experiência prática ao exercício da profissão, uma vez que sou médica veterinária.” 

Para saber mais sobre a franquia Clinicão, clique aqui.

 

Thais Sousa Rodrigues, 28 anos, é médica e franqueada da Clínica da Cidade – Unidade Teresina (PI)

“Desde que me formei tinha um desejo de abrir uma clínica médica e buscava um diferencial. E foi isso que encontramos na Clínica da Cidade, o propósito de trazer uma medicina acessível de qualidade, contribuindo para melhorar a qualidade de vida da nossa população. 

Separei horários para atender na unidade como Ginecologista, os horários para ficar na gestão e conciliei com os outros serviços onde trabalho: consultório particular e plantões no SUS. 

As maiores vantagens é saber de como a medicina funciona. Os exames, as especialidades, maior facilidade em conseguir médicos e clínicas parceiras por ser da área. Entender melhor como ajudar um paciente, saber o que precisa, entender os pedidos médicos de exames. 

A maior dificuldade é conciliar com os outros serviços e plantões.”

Para saber mais sobre a franquia Clínica da Cidade, clique aqui.

 


 

Confira outros artigos que irão ajuda-lo(a) a empreender: