Práticas de franqueadores para uma boa relação com sua rede

09/05/2013

Por Melitha Novoa Prado

Para uma relação sólida entre o Franqueador e sua rede, é importante que alguns itens sejam observados pelo mesmo. Descreveremos a seguir algumas práticas que podem ajudar a constituir esta relação:

Formalizar um contrato

É preciso ter um contrato formalizado com o parceiro, porque é neste documento que constam claramente as obrigações de cada parte. Os limites de uso da marca e de onde cada um pode ir são definidos, ainda que em linhas gerais, no contrato de franquia. Se não se sabe quais os limites de cada parte, como será possível traçar a linha ultrapassada? Afinal de contas, onde está e quem determinou tal limite?

Código de Ética

Ainda pensando em como estabelecer o espaço de cada um dentro de uma rede é aconselhável manter um Código de Ética da Rede por escrito. Apesar de se dizer que ‘Ética se pratica’, escrever faz parte do cotidiano brasileiro, formal por excelência. O Código de Ética dispõe sobre posturas e procedimentos que os membros da Rede devem adotar, no que tange às orientações gerais, política de preços, convênios com outras empresas, publicidade, e marca, entre outros assuntos rotineiros do varejo.

Liderança do Franqueador

Ser líder foi determinante para iniciar o processo de franquia. Continuar a ser o líder das operações é imprescindível para a manutenção da ordem na rede. A ausência de uma liderança saudável, dentro de um sistema que opera em rede, é anarquia, e, anarquia, até que provem o contrário, é sinônimo de desordem ou, quando ordeiro, utópico. (aqui ignorando em parte as propostas de Bakunin). Liderança através da rentabilização do negócio franqueado, otimização dos recursos existentes. Fidelização com competência.

A realização de programas de re-treinamento aos Franqueados e seus funcionários para o uso correto dos materiais, dos manuais e  instruções gerais, bem como a realização de Reciclagens que permitem que os Franqueados estejam sempre atualizados sobre as tendências do mercado de consumo, ajuda, e muito, na integração entre os membros  da Rede.

Transparência a toda prova

A transparência no tratamento de negócios comerciais com a rede evita desconfianças. Por vezes, a forma como o Franqueador conduz negociações com terceiros dá a impressão ao franqueado de que existe exploração ou aproveitamento sem causa. A sensação de estar sendo ‘usado’ ou ‘enganado’ pode abrir um abismo entre Franqueador e Franqueado, de forma irremediável. Por isso, a transparência deve ser pauta de todas as reuniões realizadas com os membros da rede.

Com a finalidade de melhorar a performance das unidades franqueadas, bem como corrigir as constantes falhas ocorridas no negócio franqueado que prejudicam a marca e imagem da Franqueadora no mercado, o Franqueador pode estabelecer uma Política de Premiação e Restrição, na qual o Franqueado recebe benefícios por estar atuando dentro dos padrões pré-estabelecidos pela Franqueadora.

Orientação constante

Supervisões periódicas nos setores operacionais, comerciais, financeiros dos Franqueados, bem como do funcionamento da Franquia, verificando se existem deficiências na operação e indicando como corrigi-las, são imprescindíveis.

[email protected]

 

Quer aprofundar-se neste assunto?
Participe do curso “Conhecimento Avançado de Franchising / Administrando o Relacionamento com a Rede”, para informações clique aqui!
Avaliação