Buscando Franquias? Encontre aqui sua franquia «
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Gestão por instinto é passado: o papel dos indicadores no crescimento empresarial

11/03/2020

indicadores

O empreendedorismo move o mundo.

Além de motivar milhões de pessoas que desejam conquistar independência financeira, liberdade, autonomia e mais propósito em suas carreiras, abrir um negócio tem uma função social indispensável para a sociedade, pois, através da atividade empreendedora, são geradas também novas oportunidades de emprego e renda para a população.

E isto vale tanto para grandes organizações, quanto para micro e pequenos negócios.

Para termos uma ideia, segundo pesquisa recente, as pequenas empresas e os microempreendedores individuais são responsáveis por mais de 50% dos empregos gerados no país.

Dito isso, para que possamos ter sucesso na abertura de uma empresa, precisamos nos permitir sonhar, mas sempre com os pés fincados na realidade.

E isso porque, independentemente do modelo de negócio que se deseja seguir, é preciso ter em mente que uma vida empreendedora envolve a superação de uma série de desafios.

Um destes desafios é a gestão do negócio.

Você já parou para pensar, por exemplo, na importância de estudar as bases para uma gestão financeira eficiente ou na importância que a gestão dos seus colaboradores terá para o sucesso de sua empresa? Refletir sobre estes pontos é decisivo, sobretudo quando levamos em conta a alta competitividade do ambiente de negócios brasileiro.

Pensando nisso, em meu artigo de hoje, gostaria de propor uma reflexão sobre a importância de uma gestão profissional, baseada em indicadores e orientada para o conquista de resultados relevantes.
 

O papel dos indicadores

Quais as causas para o insucesso de uma empresa?

Responder a essa pergunta nos ajudará a entender melhor o papel da gestão e dos indicadores no dia a dia de um negócio.

Segundo o Sebrae, a resposta, envolve, justamente a falta de planejamento prévio e de uma gestão empresarial eficiente.

Neste sentido, no plano gerencial, o papel dos indicadores envolve, justamente, o estabelecimento de métricas para que uma empresa possa medir seus resultados de forma assertiva, garantir que as metas do negócio estejam sendo cumpridas e corrigir os processos falhos com base em dados e não em achismos.

Mas como estabelecer indicadores que, de fato, possam contribuir para o crescimento do seu negócio?

Um artigo recente da Harvard Business Review define alguns pontos importantes neste sentido. Adaptando-os para a realidade dos negócios brasileiros, podemos levar em consideração 4 passos fundamentais:

  • Os indicadores devem servir como base para os objetivos gerais do negócio;
  • Eles precisam considerar também os fatores ou ferramentas que tua empresa precisa para alcançar estes objetivos;
  • Os indicadores devem auxiliar na definição das atividades e do trabalho de seus colaboradores em prol da conquista das metas da empresa;
  • Por fim, precisamos continuamente avaliar e redesenhar os dados obtidos a partir de nossos indicadores.

 

Os benefícios de uma gestão orientada por métricas, dados e resultados

Os benefícios advindos de uma gestão orientada por métricas é muito amplo.

Primeiro porque, por meio dos indicadores, conseguimos extrair dados relevantes que otimizam processo de tomada de decisões nas empresas, favorecendo o dia a dia dos empreendedores para que eles saibam, por exemplo, qual a hora certa para investir em uma expansão, como melhorar os resultados financeiros da empresa e como garantir maiores níveis de produtividade entre seus colaboradores.

Dentro deste contexto, uma pesquisa internacional da McKinsey aponta, por exemplo, que empresas orientadas por dados tem até 23x mais chances de conquistar novos clientes, tendem a ser 19x mais lucrativas e tem até 6x mais potencial para reter clientes em uma base.

Se não bastassem esses dados, uma gestão orientada por métricas, tendo em vista a obtenção de dados para resultados relevantes e crescimento é também um diferencial competitivo, quando pensamos que no Brasil, uma cultura de gestão profissional ainda não está plenamente difundida.

Neste sentido, o quanto antes você adotar esta visão, melhor para os seus negócios.
 

A aplicação de indicadores na gestão de clínicas odontológicas

Para concluir, gostaria de reforçar, que a gestão por indicadores pode e deve fazer parte de qualquer segmento ou atividade econômica.

No mercado de odontologia, por exemplo, uma gestão eficiente pode garantir, dentre outros pontos:

  • Que o administrador de uma clínica não sofra com a falta de suprimentos e um mal planejamento do estoque;
  • Pode contribuir para um melhor atendimento aos pacientes e para ações orientadas de marketing;
  • Contribui para a saúde financeira da clínica e para a gestão dos colaboradores da unidade.

Para quem tem interesse em se aprofundar nesta discussão, a Odontoclinic conta com um material bastante completo, abordando, justamente, como é possível estabelecer uma gestão por indicadores em uma clínica odontológica.

Por fim, reforço, como no título deste artigo, que não podemos mais conduzir negócios com base somente no feeling ou no instinto.

Dentro de um ambiente de negócios guiado pela diferenciação, ganharão aqueles que souberem se munir de dados e de uma gestão estratégica, orientada pelo crescimento!
 
Autor: Lucas Romi
Sócio-diretor da Odontoclinic, rede nacional de franquias de clínicas odontológicas