Desafios dos multifranqueados
Desafios dos multifranqueados

Encontre aqui as melhores franquias

«
  • Tipos
  • Tipos
Escolha pelo menos um opção para sua busca
desafios do multifranqueado por Mauricio Galhardo

3 principais desafios dos multifranqueados

22/06/2023

*Por Mauricio Galhardo

Multifranqueados costumam ter uma estrutura de BackOffice para administrar suas diversas lojas.

É preciso uma equipe para dar respaldo a tantas operações.

Aquele hábito, que até se pode manter quando se tem somente uma unidade, de dividir o tempo entre levar o filho na escola e dar um feedback para a vendedora que não está indo bem, não tem mais espaço nesse novo contexto de quem administra diversos pontos de venda.

É preciso uma retaguarda. E essa equipe precisa, inclusive, de espaço para trabalhar, seja o mezanino de uma loja, quando ainda comporta, ou até um prédio inteiro de cinco andares.

Com tamanha operação, as demandas dos multifranqueados são diferentes daqueles franqueados que têm uma ou duas lojas.

O franqueado de menor porte costuma olhar muito atentamente para os indicadores financeiros de suas lojas.

Ele olha o caixa mesmo, porque é sensível, principalmente em épocas sazonais.

Já para os multifranqueados, os principais KPIs são outros.

Com uma visão mais ampla, ele olha o Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE), parâmetros de Custo de Mercadoria Vendida (CMV), custo de ocupação, taxa interna de retorno (TIR).

Por esses indicadores, pode-se ver que o foco do multifranqueado não é o dia a dia do negócio, mas qual negócio vai abrir ou fechar. Ao analisar números, ele está vendo potencial.

Ele vê a TIR de um novo investimento proposto, por exemplo.

Mas ele só consegue se dedicar a isso porque tem uma equipe que acompanha o dia a dia das operações – que nunca deixa de ser relevante. Só que, nesse porte de negócio, não é mais o franqueado que analisa o dia a dia, é o gerente financeiro.

Nesse sentido, eu diria que o papel do empreendedor, nesse porte de empresa, abarca três principais desafios:

  • Estrutura: pessoas, capacitação, processos…
  • Tecnologia: para otimizar a gestão dos negócios;
  • Dinheiro: estratégia de tirar recursos de uma loja para cobrir outra, negociações grandes, visão de abertura de mais lojas, capacidade de investimento.

 
Para que um franqueado, dono de uma ou duas operações, possa realmente crescer e se tornar um multifranqueado, ele precisa dar esse passo de se distanciar da loja.

Muitos empreendedores gostam da operação e ficam no chão de loja, só que aí não conseguem ter a visão mais ampla, de abrir mais negócios.

A partir de três ou quatro lojas, é essencial que o franqueado se afaste da operação, monte uma estrutura de retaguarda e deixe essa equipe começar a acompanhar o dia a dia das operações.

Isso para que ele, agora multifranqueado, comece a enxergar oportunidades. Você está pronto para esse próximo passo?

Maurício Galhardo é engenheiro mecânico e sócio da F360 Educa, plataforma de cursos voltados para varejistas. Apaixonado por finanças, é autor de três livros de negócios e gestão financeira, tem ampla experiência em treinamentos e palestras e já treinou mais de 20 mil pessoas no varejo.

 

Fonte: Content.PR/MD