10 medidas que todo franqueador precisa conhecer para construir uma rede de sucesso

28/08/2014

Site oficial da ABF-Associação Brasileira de Franchising, com todas as informações sobre o setor. Guia de franquias com excelentes oportunidades de negócios

*Por Angelina Stockler

Após optarem pelo crescimento por meio do franchising, muitos empreendedores acreditam já conhecerem absolutamente tudo sobre seus negócios. Entretanto, é necessário cautela para que esse tipo de pensamento não interfira negativamente na gestão e no andamento dos trabalhos.

Para não se deixar levar pela autoconfiança excessiva, é importante ter em mente que se tornar franqueador não significa somente vender franquias. É ilusão acreditar que conhecer a fundo o próprio negócio é sinônimo de ganhar dinheiro, pois uma rede de franquias deve ser encarada como um sistema de transferência de know-how, ou seja, é extremamente importante repassar o conhecimento adquirido aos franqueados e, muitas vezes, esse conhecimento vai sendo absorvido e colocado em prática pela equipe ao longo do tempo, frente às recorrentes mudanças de cenário no varejo. Desta forma, para fugir do estigma de que ‘tudo é sabido’, é recomendado seguir 10 medidas para se tornar um franqueador de sucesso. São elas:

Definição de marca

Esse é o primeiro passo para que a rede se torne um sucesso. A marca deverá ser bem estruturada e estar com toda a documentação legal necessária em dia, com seu logotipo e nome fantasia devidamente registrados em cartório. Além disso, a marca deverá ser bem concebida, com conceitos e público-alvo previamente definidos.

Mix de produtos

O portfólio da rede deverá ser bem escolhido, de acordo com as preferências do público-alvo almejado. O mix de produtos deverá ser variado e oferecido também visando às características regionais dos futuros consumidores, bem como condições ideais de abastecimento, entre outros aspectos relevantes.

Monitoramento e conhecimento do público-alvo

O conhecimento que uma rede detém sobre o seu cliente é imprescindível, assim como o seu monitoramento. Os consumidores estão sempre passando por mudanças e as mesmas deverão ser acompanhadas para que seja possível adaptar os produtos, a comunicação e o atendimento de acordo com as expectativas de do público-alvo.

Diferenciais

São itens que também deverão ser bem conhecidos dos franqueadores. É essencial que a rede tenha definido de forma clara e sucinta os seus diferenciais, pois são eles que a tornarão conhecida e apreciada por seus consumidores. Os diferenciais da marca são o ponto chave do negócio e deverão ser cuidados e acompanhados com a maior frequência possível.

Relacionamento

O convívio entre o franqueado e o franqueador deverá ser virtuoso. É importante que a rede crie o seu próprio canal de comunicação e que cultive a troca de informações, a transparência e promova o reconhecimento do franqueado, enxergando nele um parceiro estratégico para o sucesso do negócio.

Planejamento de expansão

A franqueadora deverá contar com um planejamento de expansão bem definido e com uma equipe que saiba colocá-lo em prática de maneira eficaz. Algumas redes preferem, inclusive, terceirizar esse serviço para consultorias especializadas nessa execução deste trabalho. De qualquer forma, as vendas das franquias deverão ser feitas de maneira organizada, com entrega no prazo e alinhadas com o que foi de fato vendido.

Plano de Marketing

Trata-se de uma ação indispensável para manter a marca sempre na memória e vida dos consumidores. Ele deverá ser compatível com o estilo de cada rede, reforçar os diferenciais e o portfólio da empresa, além de evidenciar as promoções e novos itens, conforme esses forem sendo acrescentados ao mix de produtos da marca. Após o planejamento e execução das campanhas, não deixar de fazer o monitoramento e uma avaliação final, elencando os acertos e erros de cada ação, criando assim um histórico a ser revisitado sempre que necessário.

Transferência contínua de know-how

Tão importante quanto contar com conhecimento é saber repassá-lo aos franqueados. A marca precisa de uma equipe de suporte que ofereça a transferência contínua de know-how para promover o aprimoramento dos parceiros estratégicos para o bom funcionamento dos negócios. Para que isso ocorra de maneira eficiente, a franqueadora precisa investir sempre em treinamento e reciclagem de conhecimento.

Planejamento financeiro eficaz

Indispensável em todo negócio, o planejamento financeiro da rede deverá manter as contas em dia e arcar com o que foi prometido para que o franqueador não passe por apuros financeiros. Além disso, o planejamento financeiro também precisará ajudar os franqueados a crescerem e planejarem o seu negócio. No caso do franchising, tratam-se de dois planos distintos: o planejamento financeiro da franqueadora e o da rede franqueada – este último, servirá para prever a viabilidade das unidades, bem como o planejamento de cada franquia, seus pontos comerciais, o valor do aluguel de cada unidade, etc. – caberá ao franqueador auxiliar o franqueado nesses processos.

Boa seleção de franqueados

Após todas as medidas citadas acima terem sido tomadas, é essencial que a seleção dos futuros multiplicadores do conceito da marca seja feita da maneira mais criteriosa possível. Os franqueados selecionados deverão ter o mesmo perfil que a marca, além de entender o seu DNA e do negócio que estão embarcando.

De maneira geral, uma rede de franquias se pauta essencialmente pelo relacionamento. Todos os elos do sistema devem interagir entre si e juntos se integrar, pois um depende do outro para o bom funcionamento do negócio como um todo. O franqueador que não sabe como lidar com as pessoas não será um empreendedor de sucesso, pois franquear implica em se relacionar bem com seus parceiros, os franqueados. A relação entre eles deverá ser transparente, baseada em respeito mútuo e admiração, pois o franqueador deverá motivar seus franqueados constantemente agindo como um bom líder, cuja postura e atitudes são admiradas e seguidas.

É essencial lembrar que ‘conhecimento compartilhado é conhecimento redobrado’. Em outras palavras, no franchising aprende-se muito todos os dias e quem acredita que já sabe tudo dificilmente saberá colher os frutos dessa relação, motivada pela troca de experiência e compartilhamento, ações que acabam impactando positivamente o principal alvo da empresa: os consumidores, reais motivadores de todos os processos citados acima.

Angelina Stockle é sócia-fundadora da ba}STOCKLER*

Quer se aprofundar neste assunto?
Participe do curso “Programa de Capacitação em Franchising” , para mais informações clique aqui..