Opções para trabalhar em casa é tendência no setor de franquias

23/11/2017

O DIA – Bernardo Costa – 15/11/17 São oportunidades que estão atraindo empreendedores que sonham com o próprio negócio No segmento de microfranquias, empresas com investimento inicial de até R$ 90 mil, o modelo em que o empreendedor trabalha em casa, sem precisar de funcionários ou da estrutura de uma loja, tem atraído cada vez […]

Trabalhar em casa atrai empreendedores

O DIA – Bernardo Costa – 15/11/17

São oportunidades que estão atraindo empreendedores que sonham com o próprio negócio

No segmento de microfranquias, empresas com investimento inicial de até R$ 90 mil, o modelo em que o empreendedor trabalha em casa, sem precisar de funcionários ou da estrutura de uma loja, tem atraído cada vez mais interessados em abrir o próprio negócio. Um levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF) feito de julho a setembro deste ano registrou o funcionamento de 2.308 unidades home based, como é conhecido o modelo. Em relação ao primeiro semestre, que apontou a operação de 2.188 unidades, houve aumento de 5%. Os dados são nacionais.

Para Carolina Pinheiro, que havia parado de trabalhar para criar os filhos, o modelo home based foi a forma encontrada para empreender sem deixar de lado os cuidados com a família e a casa. Na parte da manhã, enquanto faz contato com clientes por e-mail e telefone, ela prepara o café e apronta as crianças para a escola. “À tarde, quando eles estão em aula, eu aproveito para visitá-los”, diz Carolina, que adquiriu a microfranquia da marca Mídia Pane.

Na empresa, Carolina é responsável por captar anunciantes que irão estampar os sacos de pães das padarias parceiras. O trabalho é feito na região de Jacarepaguá, onde a empresária vive. Feitas com material biodegradável, as embalagens são distribuídas aos estabelecimentos da região. “A vantagem para os anunciantes é que a marca deles vai estar dentro da casa das pessoas. Já as padarias recebem o sacos de graça”, diz Carolina.

Marcos Tomé, de Campo Grande, está há dois anos no ramo. Após perder o emprego, ele foi a uma feira de empreendedorismo, no Centro do Rio, em busca de oportunidades de trabalho. No local, em conversa com um representante da Cooper Kap, decidiu adquirir a microfranquia home based da marca que comercializa produtos como tapetes e pisos. “Faço os contatos em casa, pela internet, e agendo os encontros para apresentar catálogos e fazer demonstrações. Nos próximos dias, vou percorrer as marinas do Rio e de Niterói para oferecer os pisos para lanchas, um nicho que acabo de assumir na empresa”, diz Tomé.

Funcionária de um escritório em São Cristóvão, Gilseuda Lima aposta na microfranquia da Cosmetic Green para reforçar a renda. Ao comprá-la, recebeu um site para comercializar produtos de beleza. “Meu objetivo é viver do próprio negócio em breve”, projeta.

Avaliação

NOTÍCIAS RELACIONADAS