Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia «

Escolha pelo menos um opção para sua busca

Interior é campo fértil para expansão das franquias

07/11/2018

Franquias em expansão

Crescimento de pontos de vendas de produtos e serviços de redes de franquia é forte no interior do País. Londrina é o 8º município com maior avanço na quantidade de empresas abertas no primeiro semestre

Os pontos de vendas de produtos e serviços de redes de franquia estão crescendo mais no interior e é cada vez mais forte a presença de novos empreendedores do setor fora do eixo Sul e Sudeste. Levantamento da ABF (Associação Brasileira de Franchising) mostra que entre as 30 cidades com o maior número de unidades franqueadas, 11 tiveram desempenho de destaque e sete delas estão fora das capitais: Campinas, Santo André, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto, Sorocaba e Guarulhos (SP) e Niterói (RJ).

Londrina entrou na lista e ocupa a 30ª posição. Mas quando é analisado o dado de novas unidades, o município sobe para a nona posição, com crescimento de 8% no primeiro semestre de 2018. Na região Sul, a cidade ocupa a quarta posição, atrás apenas das capitais: Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis. “O potencial de consumo e número de habitantes sempre colocam Londrina na lista das franqueadoras como lugar com potencial para novidades. Também há o movimento das redes irem para o interior e, neste sentido, a cidade está sempre no radar”, afirmou a consultora do Sebrae, Leda Terabe.

A gerente de inteligência de mercado da ABF, Vanessa Bretas, informou que o movimento de interiorização foi detectado nos últimos quatro anos e “intensificou-se nesse primeiro semestre”. Hoje são 152.668 unidades no País e, diferentemente, da característica inicial de instalação em grandes shoppings, os produtos e serviços em sistema de franquia estão ganhando novos espaços. “Tem crescido a presença de lojas físicas em ruas, galerias comerciais, hospitais, laboratórios de análises clínicas e terminais de transportes como o metrô e aeroportos.”

Segundo a gerente, o que tem motivado o aumento da rede no interior e entre outras regiões é a melhoria do poder de consumo nas áreas escolhidas e, também, o fato de que nesses locais ainda não havia acesso aos produtos e serviços franqueados.

O diretor regional da ABF no Sul, Antônio Carlos Diel, avalia que o desempenho de Londrina está associado ao agronegócio. “Londrina é uma expoente, uma região puxante sustentada pelo agronegócio, o que faz dela um novo polo para as franquias”, disse Diel.

A cidade também vem se consolidando como criadora de redes de franqueadoras com uma média de quatro a cinco novas redes por ano. Atualmente, são dez. De acordo com a consultora do Sebrae, o órgão está acompanhando mais quatro empresas nesse processo. Uma delas deve lançar a rede nas próximas semanas.

FATURAMENTO

Com mais de 150 mil unidades no País, o setor obteve faturamento de R$ 79,496 bilhões no primeiro semestre deste ano, indicando alta de 6,8% sobre igual período do ano passado. A previsão é de crescimento entre 7% a 8% no encerramento de 2018. A região Sul destoou registrando um crescimento de 15,9% no período.

O Paraná é o maior estado da região Sul em unidades. Dos 191 associados da ABF no Sul, 84 estão no Estado. “No primeiro semestre o faturamento foi de R$ 12 bilhões. A leitura que faço é que o agronegócio, a economia mais diversificada e cidades menores puxantes são responsáveis por esse desempenho positivo”, afirmou o diretor regional.

A interiorização está na estratégia de expansão da rede de escola de idioma inFlux English School. A franqueadora está de olho no mercado de Arapongas.

“A região de Londrina e Maringá é um grande polo. Temos entre as duas Apucarana, Arapongas e Rolândia, que são cidades com potencial”, comentou Fábio Medeiros, gerente de expansão da inFlux.

Segundo ele, a rede, que conta com 150 unidades no Paraná, está consolidada no Estado como uma marca forte e de qualidade. “Curitiba é conhecida por ser um mercado exigente. Mas Londrina, acredito que pela educação da população, a exigência é muito maior. É um mercado desafiador”, comentou. Ele afirmou que a rede está focando também em praças como a Grande Campinas e Grande Belo Horizonte e as capitais nordestinas.

COMIDA

Além da diversificação dos locais, junto com os novos empreendedores estão chegando os serviços de consultoria financeira e de contabilidade, entre outros. O carro-chefe, no entanto, continua sendo a venda de alimentos. De junho de 2017 a junho deste ano, o segmento registrou um faturamento R$ 21,544 bilhões, que representa acréscimo de 8,1% na receita do segmento.

Para este ano, as expectativas também são positivas para o mercado de food service em geral, que deve se recuperar da crise econômica dos últimos anos. O nicho de culinária asiática é um dos mais tradicionais, corresponde 9%. Segundo a última avaliação da Pesquisa Setorial de Food Service da ABF, o subsegmento de comida asiática cresceu 2% em faturamento em 2017. E as redes estão investindo no setor. A Jin Jin, uma das franquias bem-sucedidas, está em expansão. A rede projeta aumento de 15% no faturamento até o fim do ano.

Em Londrina, a marca abriu a primeira loja no modelo contêiner. “Escolhemos Londrina porque é uma cidade com uma boa performance. Acreditamos que se uma coisa dá certo em Londrina, dará certo em outro lugar. O consumidor exige cada vez mais inovação e acreditamos no poder de compra do londrinense”, afirmou Jorge Mariano, gerente nacional de expansão da Halipar (Holding de Alimentação e Participações).

O novo formato, que tem custo de investimento menor em relação às lojas tradicionais, amplia a atuação para além dos shoppings e inclui os serviços de delivery e retirada no balcão. (Com Agência Brasil)

 

 

Folha de Londrina/PR – Aline Machado Parodi – 05/11/18

NOTÍCIAS RELACIONADAS