Ponto comercial perfeito, dicas para encontrá-lo mais facilmente

10/05/2013

Franquias que fazem negócios a partir de sua unidade, como lojas-escolas, empresas de serviços locais, entre outras. Veja no Portal do Franchising

Se o assunto envolve franquias que fazem negócios a partir de sua unidade, como lojas-escolas, empresas de serviços locais, entre outras, a decisão mais importante após a escolha dessa franquia é a definição do ponto comercial perfeito, onde a mesma será instalada.

A escolha de um ponto comercial se dá em duas esferas principais: território (região) e localização (endereço). Costuma-se considerar, principalmente, variáveis como: a demanda (potencial), a oferta (concorrência) e os custos (aluguel, reforma, etc).

A definição do ‘melhor’ ponto é um pouco mais complexa do que aparenta, pois envolve variáveis antagônicas, como fluxo de pessoas e custos. O melhor ponto não é necessariamente aquele que proporcionará o maior faturamento, e sim aquele que trará o melhor resultado. Para tanto, deve-se conhecer profundamente as particularidades do negócio em questão e o histórico das unidades da  rede, os quais tornam o envolvimento do franqueador um fator imprescindível para o sucesso do estudo.

Atualmente, são utilizadas ferramentas de Geoprocessamento para consolidar as informações existentes e, a partir de informações do sistema confrontadas com informações de mercado, mensurar as oportunidades, permitindo que a tomada de decisões seja feita de maneira lógica, sem os conhecidos ‘eu acho que…’.

A seguir, são apresentados alguns aspectos que devem ser avaliados num processo de seleção de ponto comercial:

Fatores de demanda: A característica populacional em torno do estabelecimento é o principal fator a ser contemplado num estudo de localização. Não se deve se restringir à quantidade de pessoas residentes ou passantes que freqüentam a região. É necessário, além de identificar o perfil sócio-econômico dessa população (faixa etária, renda, nível educacional), identificar os hábitos de consumo dos freqüentadores da região.

Fatores de oferta: Adicionado ao conhecimento do potencial da região verificado na etapa anterior, é preciso mensurar a influência da concorrência na região. Se for bem atendida, quem são os players, como eles atuam, que espaço de mercado está disponível. A concorrência na região obrigatoriamente não é um fator negativo; ao contrário, muitas vezes verifica-se que a concentração de lojas de um mesmo segmento pode tornar a região um pólo de compras.

Fatores de custos: A análise do melhor ponto deve envolver também as condições de utilização do mesmo, inclusive aquelas que influenciam diretamente nos custos, seja no investimento inicial (luvas, obras, reformas, comunicação), seja no custo operacional (aluguel, impostos, etc…)

Além dos pontos acima citados, outras características devem ser observadas antes da efetivação de qualquer acordo comercial:

Visualização;
Facilidade de acesso;
Área para estacionamento;
Legislação local.
Conforme o segmento de atuação, a importância de cada uma das variáveis no resultado da franquia será distinta. A experiência do franqueador com sua unidade-piloto e o histórico de todas as unidades de rede devem ser considerados para dimensionar e mensurar essas variáveis e, se necessário, os serviços de empresas especializadas que podem complementar ou preencher as lacunas de informações para uma decisão bem amparada devem ser utilizados.

 

Por André Giglio

[email protected]

Quer aprofundar-se neste assunto?
Participe do curso “Gestão de Redes / Planejamento de Território, Seleção de Ponto e Geomarketing”, para informações clique aqui!