Buscando Franquias?

Encontre aqui sua franquia

Escolha pelo menos um opção para sua busca

Claudio Tieghi lança livro sobre sustentabilidade em São Paulo

07/04/2011

Na noite do dia 06 de abril na Livraria Cultura do shopping Market Place, em São Paulo, Claudio Tieghi,  presidente da Associação Franquia Sustentável (Afras), braço de responsabilidade social da ABF, lançou o livro `Uma nova geração no franchising: cinco anos de atuação da Afras`.

O lançamento contou com o debate: `Vender Mais e Melhor: Desafios para um Franchising Sustentável`, que trouxe Marcos Gouvêa, sócio do Grupo Bittencourt e GS&MD, e Ricardo Young, consultor em sustentabilidade, que juntos com o autor discutiram as novas exigências da sociedade por produtos e serviços sustentáveis e as principais dificuldades que as empresas estão enfrentando para implantar ações de responsabilidade social.

Tieghi apresentou um panorama do crescimento do setor e explicou o conceito principal que traz em sua obra, o `franchising da 6ª geração`, em que redes de franquias levam em consideração os aspectos da sustentabilidade empresarial na hora de fazer o planejamento estratégico do negócio.

Segundo Young, a questão vem preocupando a direção das companhias que ainda estudam como implementar, na prática, processos produtivos mais  sustentáveis. Para ele, são três os principais desafios que deverão ser pensados pelas empresas: cultura de gestão sustentável, capacidade de inovação do setor e marcos regulatórios não legais.

 `A cultura que temos no processo de fabricação de um produto, por exemplo, não é de se pensar antecipadamente no impacto ao meio ambiente que o processo causará. Hoje, o que mais é pensado é no pós-consumo. São tomadas ações para a destinação de uma embalagem que já foi consumida, por exemplo. O desafio é como o setor encontrará uma forma de já evitar tal impacto antes mesmo de o produto ir para o mercado`, explica.



De acordo com o consultor, os marcos regulatórios não legais ditarão as regras do setor, antes mesmo de se tornarem leis. `O que acontece é que o mercado já sofre forte pressão de adaptação a tais marcos, como o Protocolo de Marrakesh, adotado em 1997, e que prevê a redução em até 2012 das emissões de gases que provocam o aquecimento global por países ricos em até 5,2% em relação aos níveis em 1990. O protocolo certamente se tornará uma lei, mas já é referência às ações socioambientais`, diz.

Marcos Gouvêa abordou o novo perfil do consumidor, como um dos principais fatores de mudança da percepção do franchising sobre a questão da sustentabilidade nas empresas. `O consumidor de hoje tem uma postura de rejeição às marcas que não mantêm ações de responsabilidade social, porque já consideram a questão `básica“. E complementa: `Com a utilização das tecnologias e das mídias sociais, o consumidor amplia cada vez mais seu poder de decisão e opinião. Foi verificado por pesquisas que os jovens são os mais conscientes e preocupados com a sustentabilidade`, analisa.

Gouvêa cita ainda a internet como ferramenta que contribuirá na sustentabilidade, pela redução de custos com logística. `Se pensarmos em um negócio virtual, as entregas podem ser mais inteligentemente programadas e, com certeza, com redução de custos ao lojista`, analisa.

Sobre o livro: `Uma nova geração no franchising: cinco anos de atuação da Afras`
O livro faz um resgate histórico da trajetória da responsabilidade social e da sustentabilidade no setor de franquias, que culminou em um novo modelo de negócios conceituado por Tieghi como `franchising de sexta geração`.

Tieghi mescla a narrativa em terceira pessoa a depoimentos pessoais e de outros personagens do franchising brasileiro. Ele também contextualiza o desenvolvimento da Responsabilidade Social Empresarial no franchising diante do panorama nacional e traz o pensamento de importantes autores, de expressão internacional, sobre a necessidade de integrar aspectos sociais, econômicos e ambientais por meio do desenvolvimento de uma nova concepção de cidadania e ética empresarial.

De acordo com Tieghi, a obra expõe as maneiras como o franchising absorveu a temática ao longo dos últimos anos. Para tanto, ele resgata o trabalho da Afras, desde 2005 até hoje, quando se afirma como um agente indutor para o desenvolvimento sustentável dos negócios.

Esse trabalho culminou em 2011 com o lançamento pela Afras do Programa Franchising de Baixo Carbono, que conta com a assessora técnica da Fábrica Éthica Brasil. O projeto piloto conta com 18 marcas franqueadoras que irão inventariar, inicialmente, a emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE) de cinco de suas unidades. A empresa irá então revisar seus processos produtivos para reduzir as emissões e o que não puder ser eliminado será compensado com o plantio de espécies nativas na região do Xingu (MT), por meio de projetos desenvolvidos pelo Instituto Socioambiental (ISA). 
 

Avaliação

NOTÍCIAS RELACIONADAS