Buscando Franquias? Encontre aqui sua franquia «
Escolha pelo menos um opção para sua busca

ABF realiza missão de prospecção na América Central

10/05/2010

No período de 14 a 24 de abril de 2010 uma comitiva da ABF representada por Ricardo Camargo e Rogério Feijó, juntamente com representantes das redes Bob´s e Wizard, Flavio Maia e Luisa Siqueira realizaram uma missão de prospecção à República Dominicana, El Salvador e Guatemala. Esta é a segunda incursão da entidade à América Central – em 2009 o grupo já havia visitado a Guatemala, Costa Rica e Panamá – e faz parte das ações do projeto de exportação de franquias que a ABF mantém com a Apex Brasil. 

O objetivo desta missão foi conhecer os mercados desses países e identificar oportunidades para as franquias brasileiras na região. A agenda de trabalho privilegiou principalmente os contatos com órgãos de governo e empreendedores locais, complementada com visitas técnicas em cada um dos países.

República Dominicana

A primeira visita ocorreu na capital Santo Domingo, país situado numa ilha do Caribe e que faz divisa com o Haiti. O território é dividido em 32 províncias e recebe anualmente mais de quatro milhões de turistas. A infra-estrutura é boa, com boas estradas, aeroportos e serviços de comunicação. Punta Cana é a cidade mais conhecida e seu aeroporto internacional é o mais movimentado do país.

O varejo é predominantemente de rua, ainda pouco organizado e constituído por pequenos negócios familiares. Os shoppings são incipientes, em pequeno número e pertencem a empreendedores individuais, denotando certa falta de estrutura profissional, exceto pelas operações de franquia.

A missão brasileira contou com reuniões com representantes do Banco Central da República Dominicana, Federação Dominicana de Câmaras de Comércio, Câmara de Comércio e Produção de Santo Domingo, Secretaria de Estado de Indústria e Comércio e Câmara de Comércio e Produção de Santiago, que está encabeçando o programa de desenvolvimento de micro franquias em conjunto com o BID. 


A entidade oficial de franchising no país não está atuante, portanto os dados sobre o setor, como faturamento e o número de operações no país, são desconhecidos. Poucas redes são de origem dominicana, as estrangeiras são predominantemente americanas e do segmento de alimentação, que se espalham pelas principais avenidas da capital e de algumas cidades do interior. Segundo dados da ABF, hoje somente a Via Uno opera no país, mas em breve o país receberá unidades da Vivenda do Camarão e Showcolate.

O grupo visitou duas operações de franquias locais: a Helados Bon, franquia de sorvetes com mais de 300 unidades e a EPS, operador logístico de encomendas expressas e com atuação em vários países, principalmente Estados Unidos. Segundo os executivos da empresa, o país é um importante centro logístico da região e oferece excelentes serviços de transportes marítimos.

El Salvador

Localizado ao sul da Guatemala e vizinho a Honduras, o pequeno país banhado pelo Oceano Pacífico está dividido em três zonas (Zona Ocidental, Zona Oriental e Zona Para Central). Além disso, é dividido em 14 províncias. Em recente visita oficial do Presidente Lula ao país, foi firmado um acordo de cooperação bilateral com o Brasil.

A cidade conta com a presença de conhecidas redes internacionais de alimentação ao longo das principais avenidas, com lojas vistosas e muito bem apresentadas. Diferentemente da República Dominicana, onde o comércio é disperso, em São Salvador há uma quantidade enorme de strip centers e excelentes shoppings centers, de padrão internacional.

Em El Salvador a comitiva da ABF se reuniu com representantes do Fundo de Fomento para as Exportações – FOEX, Câmara de Comércio e Indústria de El Salvador, Agência de Promoção de Exportação – Exporta El Salvador, Câmara de Comércio Brasil El Salvador e Agência de Promoção as Exportações – Proesa.

No âmbito da iniciativa privada, foi realizada uma reunião com o executivo do grupo Roble, Alberto Poma, grupo familiar de origem salvadorenha que opera os principais shoppings centers do país e com forte atuação em Honduras, Nicarágua, Guatemala e Colômbia. Os negócios da família incluem hotéis, atuação no setor automotivo, financeiro e imobiliário, principalmente escritórios.

Os shoppings operados pelo Roble são bem estruturados, destacando-se pela arquitetura, padrão de qualidade, organização e mix de lojas, contando com diversas e famosas grifes internacionais de moda. Segundo o executivo, há espaço para marcas brasileiras em seus empreendimentos, que operam com uma taxa média de ocupação de 99%. Segundo Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF, o encontro foi muito produtivo: `O canal que foi aberto facilitará o acesso de marcas brasileiras às oportunidades oferecidas nos diversos empreendimentos do grupo`, afirmou.

O grupo visitou os empreendimentos Plaza Mundo, Metrocentro, El Paseo e Multiplaza que pertencem ao Roble, La Gran Via (Grupo Dueñas Herrera), Galerias (Grupo Cimco / Siman) e Plaza Futura, imponente e moderno edifício que abriga o World Trade Center.
Outra importante reunião foi com os executivos do Grupo Piramide, empresa varejista local que atua na área de alimentação há 25 anos, com operações também na Guatemala. Eles são responsáveis pela operação das redes Pizza Hut, KFC, Benihana, Tony Roma´s, Bennigan´s, Wendy´s, China Wok, do Peru, Tucson Steak House e recentemente assinaram um contrato com a Starbucks para toda a América Central.  

Os empresários locais demonstraram interesse por conceitos brasileiros de franquia e na compra de insumos do Brasil, como carne de frango e queijo mussarela, pela qualidade e preços competitivos. Mas segundo ele, esbarram em leis de proteção de mercado do próprio país.

O mercado salvadorenho de franquias não está organizado numa associação e possui cerca de 150 marcas, sendo 10% de origem local, como a rede Biggest, de hambúrgueres, a rede Nash, de frango frito e Mister Donut. As demais franquias, predominantemente de alimentação, são de origem americana, peruana, mexicana e guatemalteca. O governo possui uma política para o desenvolvimento da franquia no país e está trabalhando com os bancos para a criação de linhas de crédito. Segundo levantamento da ABF foi identificado apenas uma operação de franquia brasileira no país, do CCAA, rede de ensino de idiomas.

Guatemala

A missão brasileira retornou ao país cinco meses após a primeira incursão. A Guatemala é o maior mercado de franquias da região centro americana, com 250 marcas em operação e 10.000 pontos de venda. Do lado brasileiro há sete marcas em atividade no país: Colcci, Hering Store, Lilica & Tigor, Showcolate, TOTVS e CCAA e a Wizard, que inaugurou a primeira unidade na capital, Cidade da Guatemala, durante a visita do grupo ao país.

 O negócio fechado pela Wizard no país é resultado da Missão de Prospecção que a ABF realizou em 2009, no âmbito do projeto com a Apex Brasil. Esta unidade Wizard é a primeira de um total de três que deverão ser abertas até o final de 2010, dentro de um plano de expansão para os demais países da América Central. Segundo a executiva da empresa, Luisa Siqueira, há um enorme potencial a ser explorado: `Ainda não existem redes de escolas de idiomas operando nestes mercados. Somado a este fator temos a indústria do Call Center, que hoje gera demanda por mão de obra especializada, mas não tem capacidade para formá-la adequadamente`, declarou.

Em conjunto com a Associação Guatemalteca de Franquias e a Câmara de Indústria da Guatemala, a ABF realizou uma coletiva de imprensa. Na ocasião, Ricardo Camargo fez uma apresentação do mercado brasileiro de franquias, destacando os objetivos da missão brasileira e as oportunidades do comércio de franquias entre os dois países. Ele anunciou um trabalho conjunto entre as entidades e governos para promover as franquias brasileiras e centro-americanas nos respectivos mercados.

Além das oportunidades para as redes brasileiras, a Guatemala também está exportando suas franquias. A Tacontento, rede especializada em comida mexicana, já tem operações na Nicarágua e está iniciando expansão para os Estados Unidos (Miami) e Brasil (Rio de Janeiro), cujas unidades estão em fase de obras, além de El Salvador, Honduras e Panamá. Outra rede local, Los Cebollines, que hoje opera 23 restaurantes de comida mexicana no país e em Honduras, El Salvador e Costa Rica, também tem interesse no Brasil, e já identificou o potencial do país.

Impressões

Apesar de ainda não operar na região, o Bob´s, representado por seu diretor Flavio Maia, também fez importantes contatos com grupos operadores de negócios de alimentação nos três países. O executivo confessou estar surpreso com o elevado nível das operações de comida, tanto das redes nacionais quanto das internacionais. Segundo Maia, além da quantidade e variedade de negócios, a qualidade das operações é muito boa. `Vimos em El Salvador uma operação da Pizza Hut impressionante (foto abaixo). Além de ser uma loja enorme, uma das maiores que eu conheci, na hora do almoço estava lotada e com fila de espera do lado de fora do restaurante`, contou Maia.

O grupo concluiu que a região oferece plenas condições para o desenvolvimento de franquias brasileiras, pois há bons operadores, boa infra-estrutura, um mercado consumidor ativo e investidores interessados em novos conceitos. Sem contar que a boa imagem que o País tem na região pode ajudar no processo, pois o Brasil é considerado líder da América Latina e com uma indústria do franchising bastante desenvolvida. Além disso, os acordos comerciais realizados entre os principais países da América Central permitirão que as redes brasileiras penetrem consistentemente nestas economias.   

Camargo ofereceu dois estandes na ABF Franchising Expo para receber uma delegação de empresários e autoridades dos três países visitados, compondo assim um pavilhão da América Central. A ABF promoverá encontros de autoridades dos dois países e reuniões com empresários brasileiros visando o estreitamento de relações. Também será incluído no programa oficial do evento um seminário sobre a região, dirigidos aos empresários, autoridades e imprensa brasileiros.

A economia da América Central

El Salvador, Guatemala, Costa Rica, Panamá República Dominicana. Estes cinco países juntos formam um importante bloco econômico da região, representando mais de 37 milhões de habitantes e um PIB de aproximadamente US$ 160 bilhões.  Estes países atravessaram anos de regime militar, instabilidade política e econômica e agora buscam recuperar os anos perdidos empreendendo um desenvolvimento estruturado, amparado por uma democracia jovem, mas comprometida com os interesses da população.  E é neste processo que surgem as oportunidades para as empresas brasileiras, sejam elas franquias ou não, pois se trata de mercados esquecidos e pouco explorados, mas com grande potencial consumidor.

Normalmente são países que oferecem baixa competitividade, baixo nível de organização do varejo, apresentam dificuldades de gerar emprego, renda e qualificação profissional. Porém, tem uma economia em desenvolvimento, atrelada a indústria do turismo, exportação de matérias primas e serviços, como por exemplo, telemarketing. Outro ponto em comum nestes países é a dependência das remessas de dinheiro realizada por emigrantes que vivem em outros países, sobretudo dos Estados Unidos e Europa. O montante de recursos injetado na economia movimenta o varejo e acaba amenizando o problema do desemprego, já que muitas famílias vivem do dinheiro enviado por parentes.

PAÍS

ÁREA (KM²)

POPULAÇÃO

PIB: bilhões de US$

PIB PER CAPITA (US$)

 GUATEMALA

108.890

13.276.517

36,9

5.200

 COSTA RICA

51.100

4.253.877

29,64

10.900

 PANAMÁ

75.420

3.360.474

25,04

11.900

 EL SALVADOR

21.041

7.185.218

22,43

7.100

 REP. DOMINICANA

48.670

9.650.054

45,24

8.300

 TOTAL

305.121

37.726.140

159

8.680

Valor Médio

NOTÍCIAS RELACIONADAS