Buscando Franquias? Encontre aqui sua franquia «
Escolha pelo menos um opção para sua busca

Mais baratas, franquias de quiosque podem servir de preparação para gerir negócio maior

03/08/2018

Franquias de quiosque

Provavelmente você já viu alguns deles espalhados por aí em shopping centers, estações de trem ou metrô, terminais de ônibus e até supermercados. As franquias de quiosque têm se disseminado pelas cidades após as redes franqueadoras perceberem que o modelo de negócio exige baixo investimento inicial, é lucrativo, fácil de administrar e pode ser utilizado pelo franqueado como aprendizado para, posteriormente, gerir uma loja ou espaço maior da própria marca.

Por tudo isso, elas têm ganhado atenção de investidores dispostos a entrar para o mundo do empreendedorismo. Apesar de existirem formatos de negócios semelhantes desde o início do franchising no Brasil, em meados dos anos 90, foi a partir de um movimento pela busca de inovações por parte de empresários do setor — acelerado por conta da crise econômica entre 2014 e 2016 — é que as franquias em quiosque se proliferaram e entraram de vez no portfólio de modelos operacionais rentáveis e populares de franquias. Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Altino Cristofoletti, o formato deverá crescer ainda mais nos próximos anos.

“Temos visto um maior interesse por parte das redes tanto no desenvolvimento de novos formatos como na diversificação de canais de venda. Frente à grande base instalada de lojas, esse movimento ainda não foi suficiente para impactar mais pesadamente o perfil do setor, mas acreditamos que isso tenda a acontecer nos próximos anos. Pretendemos, inclusive, estudar esse movimento mais de perto”.

 

Segundo a entidade, em termos de modalidade de operação entre as franquias que atuam no País, predominam os formatos: Loja (90%) e Quiosque (7%). Ao analisar os canais de venda, a entidade constatou que 75,1% das redes atuam com lojas tradicionais, enquanto outras 1,7% já trabalham com e-commerce. Os dados são do primeiro trimestre de 2017.

Também de acordo com o estudo, as franquias em quiosque movimentam cerca de R$ 2,6 bilhões por ano. O número, que é de 2014, pode ter avançado nos últimos quatro anos. Em média, nesse período, o franchising brasileiro avançou 8% ao ano.

 

Porta de entrada

Se antes as franqueadoras buscavam atrair franqueados ao modelo de quiosques por conta do baixo investimento inicial que, em média, é de R$ 120 mil, agora o mote é outro: além do custo de abertura e operacional da franquia em quiosque ser menor, se comparado à lojas normais, o formato ajuda o investidor a se preparar para administrar um negócio maior.

Na opinião do especialista em franchising e sócio-diretor da consultoria Franchise Solutions, Pedro Almeida, essa ideia de utilizar a franquia em quiosque como preparação para abertura de uma loja maior faz sentido, porém, precisa ser validado com a rede franqueadora.

“[A franquia em quiosque] é um modelo de entrada no franchising.  As redes os utilizam para vender o ‘sucesso da marca’ ao franqueado. De qualquer forma, o investidor precisa entender que esse é um modelo pequeno e sua participação sobre o negócio será fundamental para obter os resultados esperados”.

 

E caso os resultados realmente apareçam, o investidor terá total conhecimento sobre os produtos, serviços e tipo de negócio do qual está lidando. Assim, estará mais preparado para administrar um espaço de porte maior no futuro.

Entre as vantagens de se abrir uma franquia em quiosque em relação à outros modelos, o especialista destaca:

  • Baixo investimento, se comparado à outros formatos;
  • Custo ocupacional (aluguel e tributos) e operacional mais enxuto;
  • Equipe reduzida;
  • Maior proximidade com o cliente;
  • Maior faturamento por m²;
  • Mobilidade do ponto comercial;

 

Preferência

Pela estratégia de utilizar a franquia em quiosque como fase preparatória do franqueado, as redes franqueadoras, claro, passam a dar preferência à eles na hora de selecionar candidatos para operar novos pontos comerciais. Ou seja, antes de buscar investidores sem experiência no ramo, as marcas consultam seus quadros de franqueados para encontrar interessados em adquirir, inaugurar e administrar o espaço. E quem já possui uma franquia em quiosque, leva vantagem.

Segundo a diretora de operações da franquia de produtos naturais e orgânicos Mundo Verde, Daniela Heldt, medidas como essa fortalecem o crescimento orgânico da marca como um todo.

“Apoiamos o crescimento orgânico da rede. Ou seja, o aumento do número de operações gerido pelo mesmo franqueado. Então, na expansão por determinada região, temos como prática oferecer o espaço em questão ao franqueado mais próximo ao local. Caso ele opte em não investir naquele momento ou em outro espaço, aí sim oferecemos a oportunidade para os proponentes que estão em nossa lista de espera.”

 

A Mundo Verde opera com unidades nos formatos de quiosque e loja tradicional. Na avaliação da executiva, é possível preparar o franqueado através do modelo mais enxuto de operação por conta das semelhanças na gestão.

“A semelhança [entre ter um quiosque e uma loja] se dá no atendimento especializado e no sortimento (curva AA de demanda) que fazem com que o cliente do quiosque tenha uma experiência semelhante a que tem no formato loja. Já as diferenças estão relacionadas a complexidade do mix de produtos”.

 

Experiência

Márcia Maciel é franqueada da rede Yes! Cosmetics em Fortaleza, capital do Ceará. Há um ano, ela inaugurou o seu primeiro quiosque da marca. Hoje, se desdobra na gestão de três espaços desse formato, além de uma loja, aberta seis meses depois do início da jornada empreendedora. Para ela, administrar o quiosque ajudou a entender melhor o negócio praticado pela empresa e, por consequência, gerou a experiência necessária para migrar a um modelo maior.

“No quiosque, você tem a possibilidade de conhecer bem o modelo de negócio, os produtos e a operação junto à franqueadora. Isto sem contar com a mobilidade, caso o ponto definido para instalação do quiosque não entregue o fluxo e, consequentemente, as vendas esperadas”.

 

Apesar de possuir diversas semelhanças, a operação dos dois formatos têm algumas diferenças importantes, como explica a franqueada:

“Operar um quiosque é intenso e dinâmico, uma vez que, neste modelo de vendas através da abordagem, há a necessidade de se ter vendedores com maiores habilidades e desenvoltura para vendas. Também há uma intensidade maior de trabalho, o que exige mais da equipe.”

 

Maciel marca presença nos seus quiosques em seis dos sete dias da semana. Na folga, ela acompanha a operação virtualmente, através de redes sociais e outras ferramentas. Em sua rotina, conta, ela orienta a equipe, corrige possíveis erros estratégicos e trabalha na gestão financeira e do estoque dos espaços.

A empreendedora investiu R$ 120 mil em cada um de seus três quiosques da Yes! Cosmetics. A loja tradicional demandou um aporte maior, de R$ 160 mil, e foi montada em um tradicional shopping da capital cearense.

Abaixo, selecionamos 20 redes de franquias associadas à ABF que incentivam seus franqueados a crescer investindo no modelo de quiosques. Clique sobre as imagens e obtenha mais informações e contatos das franqueadoras.

  • Franquias de quiosque - Yes! Cosmetics
    É possível abrir um quiosque da franquia Yes! Cosmetics investindo a partir de R$ 120 mil

 

_______________________________________________________________________

 

Confira outros materiais que o Portal do Franchising preparou para ajudar você a escolher a sua franquia:

 

*As informações referentes à valores, investimentos e descrição do negócio foram fornecidas e/ou são de responsabilidade das franquias.

_______________________________________________________________________

Por Sammy Eduardo